Comi minha Empregada

Como todos já sabem, minha tara é efetuar encoxadas e sair com mulheres casadas.

Quem ainda não me conhece, me chamo Marcelo, tenho 30 anos, e moro em Campinas – SP.

A história que vou narrar abaixo, aconteceu há aproximadamente 3 anos atrás.

Como eu e minha esposa estávamos na correria, decidimos contratar uma empregada. Seu nome é Maria.

A Maria tem cerca de 27 anos, é casada, branquinha, cabelos encaracolados bem compridos (tipo de crente) e é uma mulher super gentil.

Por vestir sempre roupas comportadas, quase não dava para ver seu corpo, mas estava na cara que era bem torneado.

Eu adoro meter em um cuzinho, mas por ter um membro grosso é um pouco difícil arrumar alguém que aceite fazer anal comigo. Aí nasceu minha tara pela Maria, pois ela tem uma bunda linda.

O que eu vou contar, não é o correto. Por causa de taras como essa, alguns homens param na cadeia. O motivo de eu ter feito sexo com ela, é porque ela me deu condições. Por isso que rolou.

Faziam uns 10 meses, quase 1 ano que ela trabalhava em nossa casa. Sempre que eu podia, conversava com ela, puxava assuntos, falava da família, mas sempre quando ela estava distraída, eu ficava de olho naquela bunda gostosa.

Ela tinha uma bundinha empinadinha eu sempre me imaginava comendo aquele rabo gostoso.

Um belo dia minha esposa teve que sair para resolver alguns assuntos e eu fiquei com Maria em casa sozinho. Como ela trabalhava conosco há um bom tempo, não havia desconfiança.

Após ela sair, fui tomar um banho. Como estava muito quente, em meio à água morna e gostosa da banheira, comecei a pensar em como seria se tivesse a chance de fazer amor com a empregada na ausência dela.

Não consegui pensar em nenhum plano, mas resolvi me masturbar, pensando na situação.

Acabando de tomar banho, saí do chuveiro só de toalha. Como o quarto era pertinho, me certifiquei se a Maria estava no corredor. Como não estava, saí correndo em direção ao meu quarto.

Ao chegar lá eu encostei a porta, tirei a toalha e comecei a procurar alguma roupa que pudesse vestir. Ao me virar, tomei um tremendo susto, pois ela estava entrando no quarto com a vassoura para fazer faxina.

Ao olhar pra ela, tomei um susto (ela nem se fala), mas fiquei observando aquela tentação (Maria estava com uma saia cor cinza que estava bem apertada – de tão apertada dava para ver o modelo de sua calcinha).

Sua saia apertada marcava seu corpo. Sem contar sua bundinha que ficava empinada e apetitosa.

hehehe, nem preciso dizer que em instantes fiquem em ponto de bala, né?

Ela se espantou em me ver naquela situação e com o pau duro, mas não disse nada.

Quando ela se virou, tentando sair, eu então perguntei se ela aguentava ficar naquele traje, pois estava muito calor; Maria me respondeu que não, que estava tudo bem e saiu.

Eu vesti um short e fui atrás dela. Pedi desculpas pela abordagem e falei que sentia muito tesão por ela.

Ela estava calada e assim continuou.

Eu fiquei com uma puta vergonha, mas continuei na minha. Tratei ela direitinho, com respeito, carinho… aliás: Profissional.

A partir daquele dia, ela começou a andar dentro de casa mais arrumadinha, bem vestida… chegou até a se maquiar, imagina?

O que me deixou doido foi olhar em seus olhos toda vez que minha esposa não estava por perto e ver que ela me provocava, me devorava com seu olhar.

Um outro dia nos encontramos sozinhos e eu não dei bobeira. Ao ver que ela estava lavando louças, cheguei perto e a cumprimentei. Quando ela viu que eu estava ali e estávamos sozinhos, ela empinou a bunda, como se tivesse me chamando.

Ahhhh amigo, eu não pensei duas vezes. Como se por instinto, fui devagarzinho, cheguei por trás dela, fingi que ia pegar um talher e encoxei gostoso aquela bunda deliciosa.

hehehe, o máximo de reação que ela esboçou foi dizer “Pará seu Marcelo! Que isto! Alguém pode ver!”

Po brother, se um homem ouve de uma mulher o complemento da frase dizendo “Alguém pode ver”, quer dizer que ela está de acordo, né?

Eu não pensei duas vezes. Aí que eu apertei mais minha vara naquela bunda gostosa.

Ela continuava reclamando, mas sem sair do lugar.

Dizia: Me solta! Pará! Eu sou casada! Você também é casado! Eu gosto muito da sua esposa! Mas não tentava fugir, muito pelo contrário a safadinha empinava bem a bunda e se jogava contra o meu pau.

Eu fui apertando mais, investindo mais, até que ela aos poucos começou a rebolar no meu pau e falar: Aiiiiiiiiii que pica é está! A sua esposa já me confidenciou que você a machucava na relação por ter um membro muito grosso, mas eu não imaginava que era assim tão gostoso!

Putz, eu nem sei o que eu fiz. Na hora virei aquela mulher pra o meu lado e comecei a beijar gostoso.

Beijei, beijei, apertei, até que ela começou a participar mais intensamente e começou a falar: Sua mulher é muito boba. Desde o dia que ela me falou do seu pau eu não paro de pensar nele, em como seria senti-lo dentro de mim, como seria dar o cuzinho pra você… será que eu consigo?

Eu disse: Ah, Minha esposa te contou estas coisas foi? Hummmm acho que ela estava era querendo te atiçar pra tomar chifres.

Nesse momento eu comecei a levantar a saia da Maria e ela continuava participando, me ajudando a tirar as peças.

Hummmmm Maria que delicia! Nossa! Então a Maria se afastou de mim, parou tudo e me disse:

Seu Marcio, o senhor não vai contar para ninguém né? Nós somos casados! E se alguém descobrir?

Com uma vontade desesperadora de quem quer rasgar uma mulher, na hora eu já disse: Esqueça isto gostosa! Ninguém vai saber do nosso segredo. Ok? Maria então me diz: Está bem! Eu sempre quiz sentir ele no meu cu. Vou tentar só um pouquinho, tá? (na hora eu dei pulos de alegria por dentro, porque eu nem imaginava que ela iria querer anal).

Eu virei a Maria de frente para mim comecei a chupar seus peitos e fui subindo pelo pescoço onde a putinha me advertiu só pra não marcá-la com as chupadas, mas deixou rolar.

Nossas carícias rolaram, rolaram, até que eu apresentei meu pau (que já estava pegando fogo) para ela chupar.

Ela se abaixou, ficou de joelhos na minha frente e com sua mãozinha super sensível acariciava meu pau sobre e engolia com vontade.

Ela chupava meu pau, meu saco, foi subindo lambendo e beijando meu pau e finalmente começou a mamar bem gostoso, como eu sempre imaginei. Da minha parte, o máximo que eu fazia era acariciar seus cabelos e fingia que estava gemendo (sei lá, acho que dá mais tesão para a mulherada ouvir).

Depois que ela chupou bastante, levantei ela pelos meus braços, encostei ela na parede de pé (virada para a parede) e chupei sua xotinha por trás, beijei sua bunda, lambi seu cuzinho, chupei sua bucetinha, até que ela rebolou, rebolou e começou a se estremecer toda.

hehehe, saquei na hora que foi o primeiro orgasmo, mas continuei. Dessa vez ela só empinou a bunda e perguntou: você não vai me comer não? mete gostoso em mim, vai? só não esquece a camisinha.

Putz, eu corri que nem doido; peguei uma camisinha no quarto e voltei correndo.

Após recobrar o fôlego, apontei minha pica na entrada de sua bucetinha e coloquei a pica devagar na entrada da sua xotinha.

_Aiiiiiiiiiii, seu Marcelo! Eu na hora quase parei, mas ela continuou: Hummm como é grande! Mete devagar, faz o que você quiser de mim!

Ela não quiz, mas eu quero sentir seu pau, mesmo que doa.

Ouvindo estas palavras eu comecei a meter devagar, mas complementava com palmadas na bunda da Maria.

Eu falava devagarzinho: Toma safada! Você agora é minha!

Ela falava: Isso seu safado. Eu sei que vc gosta de mulher que adora pica. Mete gostoso em mim, vai? Nem meu marido gosta de me comer todos os dias. Me come. Quero ser sua.

Puxa, eu me ti gostoso. Fazia tempo q meu pau não entrava e saia de uma mulher sem ela reclamar.

Quer ver o quanto eu gozo putinha? Então fique de joelhos na minha frente! Maria se ajoelhou e abriu a boca, chupando a cabeça do meu pau.

Isso putinha! Assim mesmo puta safada! Agora vou te mostrar o quanto esta rola goza!

Quando ela abriu a boca, eu comecei a gozar abundantemente no rosto dela. Gozei na sua boca, rosto, testa e melei até seus cabelos.

E ai putinha gostou? A safada me responde que sim, que era realmente muita porra, que a minha esposa tinha razão.

Após irmos no banheiro, eu voltei e comecei a acariciar aquelas coxas roliças e durinhas, até que o meu pau ficou duro na hora.

Seu Marcelo, o senhor ainda está assim? Nossa, sua rola não amolece?

Eu respondi: E você acha que eu esqueci da sua bunda? Minha mulher não te contou que adoro comer um cuzinho?

É, não chegou a falar, mas eu percebi que ela não gostava…

Respondi: Quero meter no seu cuzinho Maria, deixa, vai?

Ela começou a arrumar um monte de desculpas, dizendo que minha pica era grossa, que não cabia, que eu ia arregaçar ela…

Nessa hora eu falei: Tudo bem. Deixa quieto. Eu já sabia que você era mole mesmo.

Putz, ela na hora falou: Eu fiz amor contigo até agora e não vou sair daqui sendo tratada como uma puta mole. Mete, vai. Só não me rasga, mas faz o que vc gosta de fazer.

Ahhhh, eu lubrifiquei bastante ele, coloquei ela de bruços, mas ao invés de colocar a cabeça, comecei a beijar, passar a língua, acariciar… quando ela relaxou, comecei a colocar 1 dedo, depois 2, depois 3… quando ela começou a rebolar, ao menos imaginar, a cabeça do meu pau já tinha entrado.

_Ahhhh Maria como eu amo foder seu cuzinho…

Eu deixei alí, acostumando, mas mesmo assim ela veio reclamando: Aiiiiiii tira! Eu não aguento! Aiiiiiiii ta doendo! Tiraaaa! Por favor tiraaaaaa! Eu continuava enfiando enquanto acariciava suas nádegas.

Você mesma não disse que eu podia fazer o que quisesse com você? Então? seja obediente e deixa rolar.

Po meu, o cuzinho dela era tão apertado que estava até machucando meu pau. Daí eu resolvi gozar de vez.

Quando minha rola já estava quase toda dentro daquele cuzinho eu comecei a piscar ele e sem pensar 2 x a safadinha gozou somente sendo penetrada naquele cu gostoso, então eu disse:

Nossa Maria já gozou? Maria me respondeu gemendo: É que é grande demais! Canalha!

Minha rola á está altura já havia entrado tudo, então comecei a fazer um vai e vem bem lento e aos poucos ia aumentando o vai e vem.

Em seu ouvido eu dizia: Viu como cabe tudo? Você gosta de dar este cu gostoso pra mim? Ela só conseguia responder balançando com sua cabeça.

Maria sua vadia! Toma rola! Toma rola neste cuzinho! Gosta disto? Então toma vagabunda gostosa! Aiiiiiiiii que cu! Nossa como é bom meter assim em um cuzinho de vadia! Nossa! Aiiiiiii! Vou gozar piranha! Maria olha para trás olhando para mim e me pede:

Quero levar porra no cu. Enche ele.

Ah, eu meti gostoso. Meti, meti, meti, até que gozei tudo no cuzinho dela.

Quando terminei, saiu aquele leite abundante… ela ficou ali, como se tivesse desmaiado.

A Maria até hoje é minha amante, mas só fazemos quando não tem ninguém em casa.

Autor: marcelinhosurfistasp

3 comentários sobre “Comi minha Empregada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s