O MACHO DA MINHA MÃE COMEU MINHA BUCETINHA VIRGEM!!

 

 

imagesOla taradinhos e taradinhas. Estou aqui de novo pra contar mais uma historinha repleta de sacanagens incríveis.

Espero que gostem e gozem junto comigo, minha bucetinha tesuda gozou varias vezes enquanto relatava a aventura da deliciosa Priscila.

Meu nome é Priscila e vou contar como aconteceu uma reviravolta incrível em minha vida.

Minha mãe se chama Célia, tinha 36 anos e morávamos na casa dos fundos da residência do Dr. Moacyr e Dra. Raquel.

Mamãe trabalhava na casa dos patrões desde os 19 anos quando nasci.

Minha mãe engravidou de mim quando conheceu um vendedor que visitava nossa cidade, se engraçou com o sujeito e acabou transando com ele. Só soube que o nome dele era Rômulo e mais nada.

Depois disso teve que trabalhar pra me sustentar sozinha apenas com ajuda de minha avó.

Como minha finada avó trabalhou muitos anos com a família dos patrões minha mãe também acabou trabalhando pra eles se tornando uma espécie de governanta tomando conta de tudo na casa, aliás, bem mais que uma simples casa, era uma mansão enorme com imensos jardins, piscina, área pra festas com churrasqueira, onde de vez em quando os patrões recebiam os amigos nos finais de semana.

Pra mim tudo era muito bom, a casa de quatro cômodos onde morávamos apesar de pequena era muito confortável sem contar que tínhamos uma vida bem tranqüila. Eu estudava em um bom colégio e tanto Dr. Moacyr quando Dra Raquel me tratavam com muito carinho, nunca havia me sentido como a “filha da empregada”. Os patrões tinham dois filhos homens que estudavam nos EUA e só visitavam os pais durante as férias.

Dr. Moacyr era ginecologista, tinha 42 anos, moreno, alto, forte e muito simpático.

Dra. Raquel era pediatra, tinha 41 anos, loira, corpão malhado e muito bonita.

Eles se davam muito bem, pois viviam se abraçando e se beijando pela casa.

Minha mãe era uma mulher branca de cabelos negros e tinha um corpo espetacular, cintura fina e quadril largo e chamava a atenção dos homens por onde passava. Até aquela data nunca tinha visto mamãe com namorados, apesar de sempre parecer uma mulher bem alegre e de uma cabeça bem legal. Desde quando tive minha primeira menstruação ela me explicou tudo direitinho sobre sexo sem ficar inventando aquelas histórias mirabolantes que ouvia das minhas amigas de escola. Ela brincava dizendo que não era porque morávamos na casa um ginecologista iria inventar de querer fazer filhos antes de completar meus estudos. Ela sempre frisou muito bem que quando acontecesse de resolver transar era pra avisá-la que ela pediria anticoncepcionais para Dr. Moacyr pra eu tomar.

Apesar de já bem curiosa em matéria de sexo eu já tinha colocado na cabeça que minha mãe estava certa e deveria seguir seus conselhos.

Na escola onde estudava tinha umas duas colegas mais novas que engravidaram com apenas 15/16 anos e dava pra ver que as coisas se tornaram extremamente ruins pra elas e isso não queria pra mim de maneira alguma.

Meu corpo era bem desenvolvido, tinha puxado minha mãe, cintura fina e bunda bem grande, os rapazes viviam mexendo comigo. Meus seios apesar de pequenos viviam querendo furar a camiseta da colegio, não gostava de usar soutien, alias não gostava de usar nada por baixo da roupa, achava que apertava e me incomodava. Quando minha mãe começou a perceber que dificilmente eu usava calcinhas e soutiens brincava dizendo que assim estava facilitando para os tarados, nem iria dar trabalho pra tirar, já estava sem nada. Hehe!

Eu argumentava que as lingeries provocavam coceiras e me irritavam e também brincava dizendo a ela que nem devia achar ruim porque era uma forma de economizar dinheiro.

Minhas experiências sexuais eram praticamente inocentes, só havia visto de relance uma amiga transando atrás de um carro em uma festa de aniversário, nem tinha dado pra ver direito. Outra amiga minha safadinha também muito curiosa me chamou pra brincarmos de aprender a beijar igual nas novelas. Apesar da experiência não ser ruim faltava empolgação. Mas na falta de coisa melhor pra fazer era uma brincadeirinha interessante e que logo passou a ser bem mais gostosa quando descobrimos que nos esfregar uma na outra era muito mais emocionante. Isso aconteceu depois que eu e essa amiga depois do banho juntas, começamos a nos beijar no banheiro e logo estávamos peladinhas na cama e ai o tesão pegou de vez e rolou um “velcro” legal. Aquela loucura era uma delicia que passamos a repetir constantemente.

Minha mãe era uma mulher bem caseira, só de vez em quando saia em algum fim de semana pra dançar em algum baile. Até estranhava uma mulher tão bonita saindo muito pouco de casa, mas logo iria descobrir o motivo de mamãe se mostrar recatada demais.

Eu havia pedido pra mamãe me deixar dormir na casa de minha amiga safadinha e ela concordara. Fui pra lá depois de jantar, era umas 7.00 da noite, quando cheguei lá tinha acontecido um acidente, um caminhão desgovernado derrubara um poste de luz da rua e todas as casas da redondeza estavam no escuro e como disseram que ia demorar pra consertar resolvi voltar pra minha casa.

Quando cheguei de volta escutei gente conversando e me pareceu à voz do Dr. Moacyr e quase sem perceber fui chegando bem devagar toda intrigada. E como dizem que mulher tem um “sexto sentido” aguçado, resolvi olhar pela janela antes de entrar e então me deparei com mamãe e o Dr. Moacyr completamente nus e o que vi e ouvi entre eles, vou descrever com detalhes:

-e ai…putinha…tava com saudades…sua vadia?

-claro que sim…patrão safado…faz mais de duas semanas que vc não come minha bucetinha…com essa pica grossa…seu safado…fica metendo só na patroa…e nas outras…seu safado gostoso!

-que nada Célia…a patroa anda com problemas…esses dias trabalhei muito…nem deu tempo pra safadezas…to com um tesão danado…e vc sabe que adoro comer sua bucetinha gostosa…vc é minha puta predileta Célia…vc sabe disso sua vadia!

-sei…até parece…vc pode até gostar de meter em mim…seu safado…mas vive comendo as enfermeiras do hospital…a patroa me conta todas tuas sacanagens…pensa que me engana…seu safado…mas isso agora não importa…vem aqui e me pega seu safado…minha buceta tá louca pra sentir essa vara grossa…vem meter na tua putinha!

Ali na janela sem que me vissem eu estava completamente atônita com o que via naquela sala. Dr. Moacyr e mamãe eram amantes e com certeza isso de longa data…e dava pra perceber que ambos gostavam de safadeza bem pesada.

Mamãe toda safada ficou de 4 no sofá com aquela bundona toda exposta, a buceta toda depilada se mostrando completamente e então pude ver o pinto do Dr. Moacyr…levei um susto com aquilo. Era um pauzão grande, grosso e bem duro e ele foi chegando atrás de mamãe e de uma só vez meteu na bucetinha dela que deu um gemido forte e continuou dizendo:

-ahhh…que pauzão gostoso…mete…mete…na tua putinha…mete com força…faz tua putinha gozar gostoso…seu safado…mete essa vara…mete tudo…na putinha…mete…ahhh…que delicia!

-rebola…vadia…rebola na pica grossa do teu macho…putinha safada…só minha pica pra acalmar teu tesão…pensa que não sei…que vc vai pros baile…e dá essa buceta gostosa pra outros machos…toma sua vadia…toma…rebola…vagabunda…rebola…safada!

-mete…seu safado…vc também…não vale nada…seu tarado…fica comendo aquelas enfermeiras vadias também…chumbo trocado…seu safado…mas mete…e me faz gozar gostoso…como vc sabe fazer…mete com força…me fode!

-vagabunda…gostosa…safada…e ainda confessa que é uma puta…que buceta deliciosa…rebola…devia apanhar…nessa bunda gostosa…puta…ahh!

-sei que vc gosta…é de puta igual a mim seu safado…bate…pode bater na minha bunda…seu tarado…sei que vc adora fazer isso…bate…eu também gosto…faz eu gozar…gostoso…tarado…safado…ahh…delicia!

O patrão enchia a bunda de mamãe de tapas e dava pra notar que a safada gostava disso pois seus gemidos eram intensos e claramente se percebia que não era de dor e sim de muito prazer.

Não demorou e mamãe deu uns gemidos mais fortes e gozou copiosamente rebolando e apanhando na bunda sem dó. Foi ai que senti minha bucetinha virgem completamente melada, quase escorrendo pelas pernas. Eu gozava junto com ela.

Que delicia assistir pela janela aquela trepada escandalosa e selvagem.

O patrão não gozara e então mudaram de posição. Ele se sentou no sofá com mamãe de frente no colo dele e se beijavam loucamente. Ela então começou a cavalgar aquela pica enorme toda tesuda, de onde assistia dava pra ver perfeitamente aquela vara enorme e grossa sumir dentro da bucetinha depilada da mamãe. E a coisa ia ficando ainda mais quente. O patrão apertava os seios dela e de vez em quando continuava a dar uns tapas fortes no bumbum dela já todo vermelho e a conversa ficou mais selvagem:

-assim…vadia…engole minha vara vadia…vou deixar essa buceta inchada hj…vadia…rebola vadia…quero ver vc gozar mais gostoso ainda…quero ver esse rosto de puta gemendo…gostoso…rebola vadia safada!

-que macho gostoso é meu patrão…sabe fazer a putinha dele gozar gostoso…assim…humm…que pauzão gostoso…assim…bate…mais forte …safado…bate…que vou gozar de novo…bate filho da puta safado!

Era uma loucura o que estava acontecendo…mamãe cavalgava loucamente naquela pica e então Dr. Moacyr deu uns tapas no rosto de mamãe que passou a gemer bem alto e toda tarada sussurrava:

-isso…bate…na cara da tua putinha…bate…safado…tarado…bate…que vou gozar…vou gozar…tarado…ahhhh!

Mamãe gritava e se convulsionava por inteira…levou vários tapas na cara e gozou copiosamente…e foi então que Dr. Moacyr disse todo tarado:

-ajoelha…vadia…chupa minha pica…vou gozar na tua boca…puta vadia…engole a porra do teu macho!

Ela se ajoelhou entre suas coxas e ele enfiou a pica grossa na sua boca e dando um berro ejaculou forte enchendo a boca de mamãe de porra. Era muita porra, mas mamãe como era uma putinha muito safada engoliu tudo, quase não deixando escapar nada, só algumas gotinhas escorreram pelo seu queixo.

Também gozei novamente, como estava de saia e sem calcinha como sempre, esfregava meu grelinho que nem louca e dessa vez minhas coxas ficaram escorridas. Muito liquido escorria de minha bucetinha virgem, os pelos ficaram completamente encharcados, parecia que tinha feito xixi.

Eles foram pro banheiro e fiquei ali, pensando no que tinha visto e no que iria fazer. Até pensei em entrar e dar um flagra nos dois…mas achei melhor deixar quieto, por enquanto. Hehe.

As emoções que passei foram muito intensas e certamente inesquecíveis.

Foi então que mamãe e o Dr. Moacir voltaram pra sala enrolados em toalhas de banho, se sentaram tranquilos no sofá e voltaram a conversar e continuei atenta escutando e percebi que eram assuntos muito reveladores:

-Célia…cada vez que te como bem gostoso…tenho a certeza que vc é uma das melhores mulheres que já meti na vida…vc é uma puta deliciosa…que sabe como me deixar tarado…e sabe me satisfazer! Vc é muito vadia…ja faz quase 17 anos que como sua buceta…sempre gostosa!

-vc é muito safado patrão…mas…eu também adoro dar pra vc seu tarado pauzudo…alias…outro dia estava pensando sobre nós…e me lembrei que logo na primeira semana que comecei a trabalhar na tua casa…vc já me agarrou e meteu essa pica grossa na minha bucetinha…praticamente me estuprou…e o pior é que gostei muito!

-verdade…mas quando olhei pra vc na primeira vez…percebi que era bem safada…teus olhos eram de mulher vadia…que gostava de vara…que nasceu pra dar gostoso e satisfazer um macho…tive sorte…adoro mulheres vagabundas que gostam de dar a buceta sem frescuras…e gostam de levar uns tapas na bunda!

-bem…isso eu gosto muito…adoro macho de verdade…que sabem como dominar uma putinha tarada que nem eu…me da mais tesão…levar uns tapas bem dados…nem sei por que gosto de apanhar de macho.

-vc gosta de apanhar…porque é uma vadia safada…tenho certeza que quando sai para por ai deve dar pra vários machos…vc nasceu vagabunda…sua safada! Ainda bem…que nunca inventou de casar…não gostaria de perder…minha putinha predileta!

-Patrão…não penso me casar…tá ótimo assim…quero mais é formar minha filha Priscila…não quero arrumar nenhum homem pra me encher o saco…e ficar perturbando meu sossego! Alias quando saio por ai e conheço alguns sujeitos nem falo onde moro…pra não aparecer por aqui…e me depois quererem me atazanar as ideias!

-humm…que mulher poderosa…todas querem casar…até fazem promessa…e vc esnobando é? Mas já que vc tocou no nome da Priscila…ontem saindo de carro para o hospital eu a vi de mini-saia e uma blusinha toda colada ao corpo…tua filha tá ficando muito gostosa…puxou a mãe é claro… deve tá tomando fermento…né?

-que patrão safado…ja tá de olho na minha filhinha é…ainda é virgem…seu tarado…te processo hein! Hehe!

-RSS…vou esperar ela perder o cabacinho…se puxou pra mãe no corpo…talvez…também na safadeza…se começar a dar…e der mole…meto a vara na safadinha…ela tem um rabo fantástico.

Fiquei boquiaberta com o que estava ouvindo…o patrão além de comer minha mãe ficava olhando pra minha bunda com tesão…que safado!

A conversa continuou ainda mais interessante:

-Safado…deixa de ser tão assanhado…seu tarado pauzudo…minha gatinha ainda é virgem e é muito estudiosa. Sempre expliquei tudo pra ela sobre sexo. Ela sabe o que não deve fazer…lógico que ela é bem safadinha sim. Outro dia ela pensou que não tinha ninguém em casa e ficou brincando de beijar com uma amiga pilantrinha…as duas ficaram se beijando um monte…alias hj ela foi dormir na casa dessa amiguinha…com certeza…devem ficar se esfregando…eu não vou brigar com ela por causa disso…não vejo problemas!

-que desperdício…devia era brincar com garotos…isso sim…RSS…gostosinha do jeito que tá…tá pronta pra levar pica…na bucetinha…manda ela falar comigo que dou uns “bons” conselhos pra ela.

-Deixa de ser tão safado…vc não vale nada…né…onde já se viu falar assim da minha gatinha tão jovem…tarado sem vergonha…ficar com tesão pela minha filhinha cabaço…seu tarado safado!

Era incrível escutar aquela conversa maluca…primeiro porque imaginei que mamãe não sabia sobre minhas brincadeiras com Monica, minha amiga de safadeza, e notei que o patrão já tinha colocado os olhos sobre mim e com certeza se bobeasse aquele pauzão que tinha entrado na bucetinha de mamãe…iria entrar na minha! Hehe!

Foi então que percebi que os dois voltaram a se pegar…as toalhas já estavam jogadas no tapete e dessa vez era mamãe que era chupada pelo Dr. Moacir. Ele lambia sua bucetinha depilada com volúpia…fazendo-a gemer toda tesuda…e isso acontecia comigo também assistindo a putaria deles.

Logo aquele pauzão duro estava dentro da bucetinha de mamãe entrando e saindo com força…ela toda tarada sussurrava dizendo:

-mete…mete…forte…tarado safado…come minha bucetinha…bem gostoso…deixa ela inchada…seu filho da puta tarado…come tua putinha…come bem gostoso…fode com força…ahhh!

-vadia….vagabunda…toma minha pica…vadia…safada…chupadora de pau…vou te encher de tapas de novo…sua safada…vagabunda…rebola…puta!

Eles transavam feito loucos…o sexo selvagem voltava com intensidade e logo mamãe gozou novamente gritando de tesão…e então o patrão…colocou ela de 4 e disse que ia meter no cuzinho dela. Mamãe disse que não queria ( mas…achei que era frescura ) pois logo aquela pica enorme e grossa tava inteirinha dentro do cuzinho dela e ela rebolava que nem maluca e gritando os dois gozaram se convulsionando inteiramente. O mais incrível é que estava rolando um ménage disfarçado ali. Todos gozavam ao mesmo tempo…só que eu estava do lado de fora da janela espiando tudo. Era muito tesão que rolava.

E foi depois do que assisti em uma noite na sala de nossa casa que fez com que meus hormônios entrassem em ebulição e despertasse desejos que até aquela data eram ainda bem “calmos”.

Logo depois Dr. Moacyr resolveu ir embora pra casa dele, e depois de um tempinho resolvi também aparecer e minha mãe quis saber por que não tinha dormido na casa da minha amiga e então contei sobre o acidente. Logo fui dormir, aquela noite tinha sido muito intensa e reveladora demais.

Dormi tão profundamente que acredito que nem sonhei de tão exausta.

Depois de alguns dias comecei a perceber que tudo aquilo que eu tinha presenciado entre mamãe e o patrão me deu a certeza que tudo seria diferente dali pra frente. Com certeza tinha puxado mais que apenas o corpo de mamãe, a todo o momento vinha em minha mente às cenas daquelas trepadas selvagens e sentia minha bucetinha virgem ficar toda molhadinha. A verdade é que meu corpo já estava prontissimo pra sentir um macho de verdade entre minhas pernas. E também percebi que teria que ser um macho tão safado quanto o patrão de mamãe, pois na semana seguinte fui a dois aniversários de amigas minhas e como sempre tinha uns garotos querendo dar uns amassos na gente, deixei rolar com dois deles, beijar até que era legal, mas quando eu dei umas pegadas nos pintos duros deles vi que não era aquilo que imaginei. Certamente queria uma pica grande e grossa igual do Dr. Moacyr, “pica de homem”, não dos rapazes jovens. Rss. Desejava um pau grande e grosso!

E só pra atiçar e me deixar com mais tesão ainda, naquele dia logo cedo percebi que o Dr. Moacyr estava manobrando o carro pra ir para o hospital e como havia pegado minha inseparável bicicleta para dar uma volta, rapidamente simulei que a corrente tinha escapado e como vestia uma sainha curta e rodada, além de estar sem calcinha, fingi não ver o patrão e fiquei mexendo na bicicleta. Minhas coxas e com certeza parte da popa da minha bunda grande se mostrou bastante. Nem precisei olhar pra trás pra saber que ele estava olhando meu corpo de ninfeta e toda safada resolvi mostrar mais ainda e me inclinei toda e minha bucetinha peludinha com certeza se mostrou. Parei a encenação e subi na bicicleta e só então fingi que tinha visto o patrão naquele momento e toda sorridente fiquei esperando ele terminar de manobrar o carro e ao passar perto de mim puxei conversa dizendo:

-oi Dr. Moacyr…bom dia…ja tá indo trabalhar é?

-Sim…meu anjo…tenho que trabalhar…fazer o que…mas o que aconteceu com a bicicleta…querida?

-Hiii…essa bicicleta já tá meia velhinha…vive escapando a corrente…mamãe disse que vai comprar outra…eu adoro pedalar…agora que to de férias da escola…saio pra dar umas voltas…ir à casa das minhas colegas…mas eu sempre uso pra ir pras aulas…espero ganhar uma novinha no natal.

-com certeza…vai ganhar…bicicleta é muito bom…pra se exercitar…deixa as pernas e o bumbum bonito…e desse jeito…vc vai ficar ainda melhor… pelo que estou vendo…cada dia vc está mais linda…Priscila!

-Humm…obrigado patrão…os garotos na escola sempre dizem isso…mas o Sr. dizendo eu acredito. Hehe!

-pode acreditar…vc tá uma gata…deve deixar os rapazes loucos…ainda mais com esse corpo que vc tem! Tenho certeza eles quando tomam banho…devem se lembrar de vc! Lógico que vc deve saber disso…dá pra perceber que vc além de linda…é uma garota esperta.

-aii…Dr…sou uma garotinha virgem…ainda não entendo muito disso não…mas que os rapazes são safados…isso é verdade…se bobear…eles querem te pegar…de todo jeito…mas não gosto muito dos garotos da escola…são muito tontos…se beijam uma garota…saem contando pra todo mundo. Pra ficar mal falada é facinho! Hehe!

-é…isso não se deve fazer…tem que ser discreto…ninguém precisa saber…fica chato. Mas então vc ta dizendo que ainda é virgem gatinha…nem dá pra acreditar…do jeito que vc se veste e com essa bunda linda…deve deixar…todos os homens loucos. E do jeito que vi…quando vc tava arrumando a bicicleta…apareceu até sua bucetinha…vc nem usa calcinha…acho que vc anda brincando com fogo…se algum tarado te pegar…vai te comer inteirinha…e pode te machucar…querida! Tem que tomar cuidado!

-é…minha mãe já me falou isso também…mas quando eu saio pra rua…coloco calcinha…quando não esqueço. RSS. Mas…eu não gosto de nada me apertando…calcinhas deixam minha bucetinha toda irritada…coça bastante…só coloco quando precisa mesmo!

Minha bucetinha já estava completamente molhada com aquela conversa cheia de insinuações e sem me preocupar com nada resolvi ser mais safada ainda e continuei dizendo:

-então…mas…ja que o patrão falou que viu minha bucetinha…queria perguntar uma coisa…o Sr. achou feio…ela aparecer…assim desse jeito…nem percebi que tava aparecendo tanto assim!

-claro que não é feia Priscila…apesar de que não vi direito…só um pouquinho…é bem peludinha né…mas lógico que é linda…bucetinha virgem da tua idade…sempre é linda…e tenho certeza que o homem que tirar teu cabacinho…vai gostar muito…mas me fala uma coisa Priscila…vc não brinca com os garotos?

Percebi ali ao lado da porta do carro que o safado já estava alisando o pau…e toda safada continuei:

-bem…brincar de passar a mão já passei em dois…mas de verdade…não gostei muito…ja vi em filmes…na casa da Monica minha amiga…achei que os pintos deles deviam ser maiores. Hehe!

-Priscila…que garota tarada vc é…nem parece virgem…ja quer pau grande na primeira vez…tua bucetinha pareceu-me tão pequena quando vc se mostrou…será…que vai agüentar…um pau bem grande?

Completamente tesuda com a conversa cheguei mais perto do carro e levantei a sainha na frente e disse toda safada:

-o patrão é medico…o sr. acha que ela é muito pequenina…fala…pra mim!

Ele olhava para todos os lados temendo que alguém pudesse estar vendo o que acontecia ali, afinal a esposa dele ainda estava em casa, além de minha mãe e outra empregada, mas ele não se agüentou e colocou a mão pra fora do carro e deslizou os dedos entre os lábios da minha bucetinha, que logicamente estava toda ensopada e então disse todo tarado:

-Priscila…que garota safada…tenho certeza que sua bucetinha aguenta uma pica bem grande e grossa… e do jeito que sua bucetinha ta molhada… tenho certeza que entra tudo ate o talo. A minha pica tenho certeza que ia entrar toda bem gostoso…eu ia deixar ela toda inchada…minha pica é bem grossa e grande.

-aiii…patrão…o Sr…é bem sem vergonha! Hehe! Eu acho que do jeito que o sr. é grandão…seu pinto deve ser enorme mesmo!

Ele não ia perder a oportunidade e dando uma olhada rápida pra ver se não tinha ninguém por perto, rapidamente abriu a braguilha da calça e tirando o pau duro e enorme disse todo tarado:

-é…do tamanho certo pra encher a bucetinha de uma putinha tão safada quanto vc…pega na mão…putinha! pega…pra sentir…se gosta assim … grossa e bem dura…putinha safada!

Em segundos senti o calor daquela pica grossa e quente na minha mão e punhetei-o dentro do carro dizendo toda tesuda:

-nossa…patrão…que grossa…é sua pica…nossa como é grande…dá medo…deve arregaçar minha bucetinha…como é quente…mas…eu…gostei…de pegar…fiquei…mais molhada ainda…que delicia de pegar nela!

Foi então que o celular dele tocou e imediatamente ele percebeu a loucura que estávamos fazendo ali no jardim da casa e em seguida saiu cantando os pneus do carro.

Eu estava quase gozando em pé ali parada, a bicicleta jogada no chão.

Fiquei toda ouriçada…levei a mão no nariz e senti o cheiro do pau do Dr. Moacyr que ele havia deixado em meus dedos. Em instantes veio em minha mente o barulho dos tapas fortes que o patrão aplicara na mamãe naquele dia e a verdade é que gostaria também de levar uns tapas bem dados no meu bumbum… minha pele se eriçava e minha bucetinha pulsava forte. Eu começava a gostar de me sentir uma putinha desejando um macho tarado como o patrão da mamãe.

Logo depois do almoço percebi que ia ter safadeza aquela noite na minha casa, pois ouvi a patroa Dra. Raquel dizendo que ia ter que dar plantão no hospital. E não demorou pra que mamãe toda melosa insinuar se eu não gostaria de ir dormir na casa da minha amiga Monica. Lógico que concordei, não iria atrapalhar a foda da minha mãe de jeito nenhum. De uma coisa eu tinha certeza, do jeito que Dr. Moacyr tinha ficado tarado logo de manhã, mamãe ia sofrer um bocado nas mãos dele…literalmente. Hehe!

Liguei pra Monica e disse que ia dormir na casa dela aquela noite, só que antes iria tentar assistir a transa selvagem do patrão com mamãe.

Mas a verdade é que quando a sacanagem começa a dar certo tudo conspira pra que seja melhor ainda.

Estava muito calor e a tardezinha tomei um banho bem gostoso e coloquei uma saia curtinha de malha e um top, e fiquei zanzando por ali nos jardins, não tinha nada pra fazer mesmo.

Vi que Dra. Raquel pegou o carro dela e saiu pra o hospital, mamãe estava na mansão terminando de fazer o jantar, a cozinheira tinha saído mais cedo naquele dia e foi então que percebi que o Dr. Moacyr estava chegando em casa. A garagem que ele guardava o carro era fechada. Como eu estava bem pertinho da garagem rapidamente me coloquei como se tivesse passando por ali naquele instante e quando ele me viu todo sorridente veio bem devagarinho conduzindo o carro pra guardá-lo e disse:

-oi Priscila…to vendo que tomou banho…cabelinho molhado…toda arrumada…vai pra onde a garota linda ?

-oie…patrão…vou dormir…na casa da minha amiguinha Monica…acho que mamãe…quer ficar sozinha hj…praticamente me expulsou de casa…acho que ela vai fazer alguma coisa…proibida. Hehe!

-será? Pode ser…hj vc também já fez…logo cedo né…mas me fala uma coisa…colocou calcinha pra sair Priscila…ou está igual de manhã…com a bucetinha peludinha…prontinha…pra safadeza?

-bem…patrãozinho…se quiser ver…eu mostro…igual de manhã…mas aonde eu vou…também não precisa! Minha amiga Monica…é igual eu…gosta de ficar sem…calcinha…também!

Ele abriu a porta do carro e ficou sentado no banco…dava pra ver o volume na calça branca entre suas coxas…e fui bem pertinho dele…e então o patrão enfiou a mão entre minhas coxas e deslizou os dedos na minha bucetinha e então disse todo sensual:

-que putinha safada vc é Priscila…to vendo que vc tá louca pra dar essa bucetinha virgem…sua vadia!

Ele já abriu a calça e tirou aquela pica enorme e completamente dura pra fora e disse tesudo:

-vem…putinha…chupa meu pau…enfia na boca…safada…chupa gostoso…vc sabe…eu sei que sabe! E já percebi que vc tá querendo brincar com macho de pau grande…vou dar o que vc quer putinha!

Nem titubeei e me inclinei e fui enfiando aquela cabeçona brilhante dentro da boca…fiz o que tinha visto mamãe fazer…mamei com vontade…que delicia sentir o pau grosso de um macho entre meus lábios…ele levantara minha saia e seus dedos bolinavam meu grelinho e logo senti um dedo enfiado em meu cuzinho e ele dizia todo tarado:

-isso…assim putinha…assim mesmo…chupa a pica do teu patrão…chupa o pau do macho que vai comer sua vadia….putinha safada…tem a quem puxar…putinha…chupa com força…mama…ahhh!

Ele nem percebeu que se entregou falando que eu tinha a quem puxar. Depois de alguns instantes ele se levantou e me pegando no colo me levou em cima do capo traseiro do carro abriu minhas pernas e caiu de boca na minha bucetinha virgem e começou a me chupar deliciosamente e me entreguei inteira sussurrando toda sensual:

-ahhh…patrão…que delicia…sentir sua boca na minha bucetinha…ahhh…que gostoso…não para…eu vou gozar…eu vou…gozar…ahhhh…que delicia …to…to gozandooo…ahhh!

Convulsionei-me por inteira…meu corpo tremia por completo…dentro do meu cuzinho tinha 2 dedos grossos enterrados por inteiro e então ele disse todo tesudo:

-a putinha tá doida pra levar vara…né…quer dar pra mim…safada? Quer que tire seu cabaço vadia? Fala!

Não me importava mais nada…eu faria tudo que ele quisesse e resolvi assumir toda minha safadeza e tomada pelo tesão sussurrei:

-patrão…faz o que quiser…comigo…sou inteirinha tua…me come…tira meu cabacinho…me come do jeito que quiser…pode fazer tudo…quer ser sua putinha…inteirinha!

Notei que ele ficou pensativo sem saber como proceder com uma garota tão atrevida quanto eu e disse:

-nossa…que putinha mais louca vc é Priscila…tenho certeza que ia adorar…arrombar essa bucetinha virgem…mas não pode ser assim desse jeito…tem que ser em outro lugar…bem mais gostoso…vc é uma tarada deliciosa…tão jovem e completamente puta…tua mãe…vai ficar louca quando souber…a vadia que tem em casa…já pensou se ela descobre…que vc tá de safadeza comigo…sua putinha tarada!

Apesar de toda tesuda eu sabia bem o que fazia e resolvi mostrar que de boba eu não tinha nada e disse:

-patrãozinho…ela deve saber sim…puxei pra ela…tanto no corpo…quanto no tesão…e o Sr. também sabe que mamãe…é bem safada…sei que vcs dois…vivem transando gostoso…faz tempo. RSS. Sei que hj vai ter safadeza…em casa…a patroa tá de plantão…mamãe me mandou ir pra casa da minha amiga!

-Priscila…não acredito…no que estou ouvindo…como vc soube disso…que loucura garota!

-Patrãozinho…deixa de ser safado! O Sr. não precisa se preocupar comigo…tem que se preocupar é com a patroa…pra ela não descobrir! Depois que vi o Sr. e a mamãe metendo…to louca pra perder meu cabacinho…se o Sr. não me comer vou ter que dar pra outro…minha bucetinha todo dia fica molhadinha…até ia pedir pra mamãe pegar anticoncepcionais pra mim…to louca pra dar…mas não quero ficar grávida!

-Priscila…vc conseguiu me surpreender garota…quase não dá pra acreditar…mas vejo que vc puxou mesmo sua mãe…vcs se parecem muito mesmo. Mas, acredito que talvez vc seja ainda mais louca que ela…acho que vou querer descobrir isso…mas…não hj…Não pode ser assim!

-ahh…patrãozinho…eu pensei que vc ia meter esse pauzão na minha bucetinha virgem hj! Hehe!

-sua maluca…deixa quando eu te pegar…vc vai ver…sua putinha safada…vou deixar vc arrombada sua vadia…tarada…vou te fazer sofrer bastante…vc não sabe o que te espera…safada!

-ah patrão…to louca pra descobrir tudo…isso…e quero que seja com vc…acho que vou pedir pra mamãe me deixar dar pra vc!

-chega de tanta safadeza…sua tarada…acho que vou entrar e tomar um banho!

-tem certeza…que não quer gozar…nem na minha boca…patrão? Tenho certeza que vai gostar…quer? Prometo…que tomo todo o leitinho que sair…é só mandar…que eu chupo… de novo!

Nem sei de onde consegui tirar tanta coragem pra falar tanta sacanagem para o Dr. Moacyr, mas ele com certeza não estava preparado para as loucuras de uma garota tão louquinha e sem juízo quanto eu me mostrava e após se recompor antes de sair da garagem pra ir pra mansão disse:

-chega…de safadeza por hj…sua vadia…mas pode ter certeza que vou te pegar de jeito…e não vai adiantar reclamar putinha…acho que vc tá precisando levar uns tapas bem fortes nessa bunda empinada pra acalmar esse fogo…nessa bucetinha melada e tesuda!

-Hummm…o patrão…falando assim…deixa minha bucetinha virgem mais molhadinha…o patrãozinho ia ter coragem de bater no meu bumbum? Falando assim desse jeito me deixa toda arrepiada.

Ele então me puxou pelo braço e me virando deu dois tapas fortes na bunda e disse todo safado:

-isso é só uma amostra…putinha safada…quando te pegar e vou-te mostar…vagabundinha tarada!

Sai toda rebolando dali e fui pra casa tomar um banho pra acalmar meu corpo, sem contar que eu estava com as coxas escorridas de liquido que minha bucetinha virgem expelia aos montes. O tesão me consumia me fazendo quase perder o sentido! O prazer tomava conta de meu corpo me fazendo sentir completamente viva. Depois do despertar do desejo tudo parecia ainda mais lindo e fantástico.

Tomei um banho gelado pra dar uma acalmada e logo mamãe veio pra casa e também tomou banho e colocou um vestidinho curtinho e se perfumou toda. Ela me fez um lanche e logo deu um jeito de me despachar pra casa da minha amiga.

Sai e fui dar uma volta e depois de uma meia hora voltei sorrateiramente. Devagarzinho fui chegando ao mesmo lugar onde tinha assistido mamãe e o patrão transando e cheguei quando o show já tinha começando bem quente.

Dr. Moacyr estava bem mais tarado que da outra vez que assisti, logicamente que minhas safadezas com ele de manhã e depois à tarde o tinham deixado bem mais excitado e mamãe estava “sofrendo gostoso” nas mãos e na pica grossa dele. Ele metia sem dó nela e notei claramente que mamãe estava apanhando bem mais que da outra vez.

Mas tinha uma coisa que eu admirava cada vez mais era a capacidade que mamãe tinha de transformar a dor dos tapas em mais prazer. Percebi que adorava assistir aquilo e a cada segundo me colocava no lugar dela e esfregando meu grelinho como doida eu gozava cada vez mais forte.

Depois daquela sessão intensa de sexo e sadismo o casal deu uma trégua pra se banharem, minha bucetinha virgem estava completamente molhada…escorrendo pelas pernas.

Mamãe voltou do banheiro e pegou duas latinhas de cerveja na geladeira e como estava nuazinha notei o quanto ela ficou marcada pelas mãos fortes do Dr. Moacyr. Sua bunda branca estava bem vermelha, assim como seu rosto. Minha mãe putinha estava apanhando mais que de costume, no lugar da filha putinha. O patrão voltou com aquele pauzão enorme e bem duro, ele ainda não gozara e se sentou no sofá e mamãe se ajoelhou entre suas pernas e passou a chupar do jeito que ela sabia fazer, engolindo aquela pica com maestria. Era uma puta tarada e safada e logo gemendo como louco o patrão gozou!

Era muita porra que saia daquele pauzão enorme e ela engolia com volúpia. Eu desejava estar ali no lugar da mamãe! Meu grelinho tava até inchado de tanto que me masturbava ali na janela espiando.

Logo depois eles continuaram ali tomando cerveja e a conversa que se seguiu ficou muito interessante, principalmente quando Dr. Moacyr tocou em meu nome com certeza pra se justificar caso surgisse algum comentário indiscreto a meu respeito.

-Célia…nossa…como gozei gostoso…vc sabe como mamar na minha pica…saiu quase um litro de porra!

-Percebi que o patrão tava mais tarado hj…alias também estava bem mais malvado…minha bunda tá toda ardida…seu sádico…meu rosto então…ainda bem que a água do chuveiro tava bem gelada…qual foi o acontecimento que deixou o patrão com mais tesão…quero saber…alguma enfermeira nova…que tava de saia curta e ficou mostrando o rabo pra vc…seu safado?

-Claro que não…as enfermeiras que estão trabalhando no hospital são muito feias. Não teve nada demais…ultimamente só ando comendo vc… minha putinha predileta…vc sabe que a patroa anda com problemas no útero…tá fazendo tratamento…não pode transar….já faz um mês…no máximo só uns beijos.

-sei…to quase fingindo que acredito…seu tarado safado…faz muitos anos que te conheço muito bem!

-bem…a única coisa de diferente que aconteceu foi aqui em casa mesmo…tua filha Priscila é bem maluquinha né…hj de manhã quando sai pro hospital…ela tava arrumando a corrente da bicicleta…e como se curvou toda…a bucetinha dela ficou toda de fora…a safadinha não usa calcinha é?

-humm…então foi isso…né…eu sabia que tinha safadeza nesse tesão todo…que patrão mais safado…de novo olhando com tesão pra minha filhinha virgem…vc não tem um pingo de vergonha…seu cachorro!

-Célia…eu não pedi pra ela mostrar a xoxotinha pra mim…ela nem percebeu que tava mostrando tudo…eu não ia deixar de olhar claro…ela tem uma buceta linda…e uma bunda gostosa…igual da mãe…pena que é cabaço ainda.

-safado tarado…garanto que ficou com o pauzão duro…com tesão pela minha filhinha virgem…tenho certeza que deu um jeito de se engraçar com ela…vc é cheio de ficar de conversinhas safadas com mulher… pode falar…o que vc conversou com Priscila…quero saber…não me esconda nada!

-bem…ja que vc quer saber…conversei bastante com ela…mas vc tem razão em ter falado aquele dia que ela é uma garota bem ajuizada, cabeça legal…mas…tenho certeza que ela vai ser uma putinha igual à mãe…até disse pra mim…que tá louca pra dar…que ia pedir que vc pegasse anticoncepcionais pra ela…

-Priscila é louquinha mesmo…ficar conversando essas coisas…com um tarado como vc…garanto que vc se ofereceu pra tirar o cabaço dela…né…seu sem-vergonha! Faz 17 anos que te conheço…Dr. Moacyr!

-ainda não.RSS….to brincando…mas que ela é um tesão é…depois que perder o cabaço…e quiser dar pra mim meto a pica na putinha…agora…vou te contar uma coisa que ela disse pra mim e quase perdi o rebolado…a tua filhinha é virgem…mas não é inocente de jeito nenhum…Priscila sabe que nós dois transamos há muito tempo…Célia…ela disse na minha cara!

-nossa…não acredito nisso…como ela ficou sabendo…eu nunca comentei nada…jura que ela disse isso!

-pra vc ver…a safadinha não me contou como ficou sabendo de nossas trepadas…mas até me aconselhou a não deixar a patroa descobrir…e a tarde quando voltei pra casa ela brincou comigo dizendo que vc tinha a mandado dormir na casa de uma amiga…e que hj a noite com certeza ia rolar safadeza entre nós!

-que loucura…minha filha é muito malandra…ela então…sabe de tudo…nem sei o que dizer!

-é…mas acho que não precisamos nos preocupar com ela…sua filha apesar de muito safada é inteligente demais…acho que ela só precisa de uma cartela de pílulas anticoncepcionais e umas camisinhas.

-pensando bem…vc tá certo mesmo…ela nunca deu problema pra mim…sempre me obedeceu…não falta nas aulas…notas excelentes…não posso cobrar que ela seja uma santa…alias também nunca fui… desde novinha…eu vivia atrás de macho. RSS. Minha lindinha merece ser feliz!

-humm…adoro quando vc diz que é uma putinha safada desde novinha…disso eu tenho certeza…isso então me dá certeza…que a tua filhinha também é uma vadiazinha tarada…se for tão gostosa quanto à mãe, os homens vão gostar muito…agora vem aqui…gostosa…que vou chupar tua bucetinha…fica de 4 safada adoro lamber tua buceta…igual cachorro…vem minha cadelinha vadia.

A sacanagem voltou a correr solta…mamãe de quatro no sofá rebolava toda safada na língua do patrão e logo passou a levar tapas fortes na bunda…naquela posição ela apanhava legal…mas a putinha gemia e dizia toda cheia de tesão:

-aiii…chupa gostoso o grelinho da tua putinha…tarado safado…aiii…pode bater…filho da puta…bate forte…a tua putinha adora apanhar na bunda… assim…assim…faz eu gozar…gostoso…tarado!

Daquele lugar que assistia dava pra ver tudo nos mínimos detalhes…era perfeito…mas foi então que aconteceu uma coisa que deixou tudo mais gostoso e mais safado.

O patrão me notou na janela assistindo eles transarem e o safado logo percebeu que aquilo poderia ficar ainda mais excitante e todo tarado deu um sorriso pra mim e vi que a sacanagem ia ser bem mais gostosa ainda.

Como mamãe estava com a cabeça na almofada do sofá com aquele bundão empinado todo exposto dificilmente conseguiria me ver ali na janela…mas o tarado do Dr. Moacyr podia meter a vontade e ficar trocando olhares comigo. Percebi que isso me deixou mais taradinha ainda, minha bucetinha até piscava de tanto tesão…e então vi que o patrão queria aumentar o tesão ainda mais e disse todo safado pra mamãe:

-isso…assim que eu gosto…toda arreganhada pra eu meter minha pica grossa…nessa buceta tesuda…e depois…comer esse cuzinho apertado…hj to mais tesudo ainda…nossa…minha pica tá dura demais.

-então mete…seu tarado…gostoso…come sua puta safada…me enche de tapas…mete tudo…seu safado!

Dr. Moacyr enfiava e tirava com força da buceta da mamãe aquele pauzão enorme…parecia um cavalo de tão tarado e ele continuou com a safadeza dizendo:

-isso…rebola…vadia…me deixa com mais tesão…quero ouvir vc gemer muito hj…mostra que tá gostando de dar pro teu macho…vagabunda…que rabo delicioso…agora…vou enrabar esse cuzinho gostoso!

-come…come meu cuzinho…seu safado tarado…enfia…tudo…do jeito que vc gosta…come gostoso…meu patrão tarado…mete na tua putinha… ahh…que delicia…assim…aiii…safado…põe devagar!

-deixa de frescura vadia…puta que nem vc gosta de levar vara sem dó…rebola…vadia…humm…que cuzinho gostoso…apertadinho…rebola vadia… assim…assim…vadia…hummm…goza pro teu macho…ahh cadela!

Dr. Moacyr me olhava todo cheio de tesão enrabando mamãe e me comendo com os olhos…quando ela deu um grito e gozou que nem louca rebolando sem parar…ele metia sem dó…e senti que ele me imaginava no lugar dela…gozei junto…toda tremula.

Aquilo tinha sido uma loucura inesquecível e então mamãe se levantou meia cambaleante e foi tomar banho. O patrão ficou ali na sala com aquele pauzão duro…sem gozar e então ele chegou perto da janela e disse baixinho:

-Priscila…sua putinha safada…quando eu sair daqui…vou te esperar na garagem dos carros…vai pra lá!

-pode deixar patrãozinho…vou sim…o Sr. mandou…eu obedeço…direitinho. Hehe!

Ele foi pro banheiro também e logo eles voltaram conversando bem alegres.

-Hj o patrão…me deixou moída…tanto de pica quanto de tapas…que macho gostoso…meu Deus!

-vc gosta assim…sua puta…até acho que foi pouco…devia apanhar mais…vadias são insaciáveis.

-sei…mas…eu tenho certeza que esse teu aumento de tesão…tem algo a ver com minha filhinha virgem… do jeito que vc é tarado e safado!

-bem…sou obrigado a confessar que é impossível não ter pensamentos eróticos…com uma putinha tão linda quanto a Priscila…principalmente conhecendo tão bem a mãe…que é uma puta super deliciosa…vc fica imaginando se a vadiazinha…gosta de levar pica igual à mãe.

-Safado…tarado…deixa de ser tão sem vergonha…como pode um médico ser tão tarado assim?

-Mas vc gosta que eu seja assim…né vadia. Mas vou te falar uma coisa…que vc sabe muito bem…tua filha Priscila já é uma mulher feita…corpão…ja tá mais que pronta pra levar vara de macho…quando vc for conversar com a vadia…diz pra ela que se brincar mais uma vez comigo…não vou ter dó…tiro o cabaço da putinha…e nem adianta reclamar.

-não acredito…que vc teria coragem…patrão…com esse pauzão…iria arrombar a coitadinha!

-vai nada…a vadia vai é rebolar…que nem vc…ela é uma copia mais nova sua…tenho certeza que dá gostoso na primeira vez! Mas…agora é melhor eu ir pra casa…vai que alguém liga! To indo!

Eles se beijaram e ele saiu…mamãe…foi para o quarto…e eu devagar sai dali indo para a garagem e quando cheguei lá encontrei Dr. Moacyr ao lado do carro com um sorriso todo safado e então disse:

-gosta de assistir os outros treparem né vadia?

-claro que sim…principalmente vc e mamãe…quase morro de tanto gozar!

-então tá bom…putinha…hj vamos brincar um pouco…tem certeza…que quer mesmo? Não vou querer ninguém choramingando dizendo que não quer mais…que se arrependeu…essas frescuras hein !

-o patrãozinho sabe que quero…ja falei pro Sr…quero…tudo…não se preocupe…eu topo…tudo!

-perfeito…então vamos la pra casa…só vai ter eu vc…e vou poder educar a putinha…pode até gritar…que ninguém vai escutar…mesmo!

-patrão…não adianta querer me botar medo…eu já vi o Sr. comer a mamãe…eu quero assim também…eu quero ser mulher com vc…quero ser tua putinha …de verdade!

Nem bem entramos na casa ele já foi me agarrando e me beijando na boca…fomos pra um quarto de hospedes no final do corredor da mansão…e em segundos estávamos nus. Aquele pau enorme em segundos estava no fundo da minha garganta…fazendo-me engasgar…mas como uma putinha bem vadia eu chupava com vontade…ajoelhada entre as coxas do patrão tarado.

Dali a pouco ele me colocou de quatro na beira da cama e começou a lamber minha bucetinha virgem todo tesudo e então decidi que ia assumir de vez toda vadia que gostaria de ser e disse toda sensual:

-aiii…patrãozinho…que delicia…sua boca na minha bucetinha…aiii….que delicia…não para…não para tua putinha tá adorando…faz eu gozar gostoso …também…quero…apanhar no bumbum…bate…na putinha bate…eu querooooo!

Foi incrível levar uns tapas de verdade na bunda…logo gozei que nem uma louca desvairada…o prazer tomava conta de todo meu corpo e continuei dizendo:

-nossa…patrãozinho…que delicia…gozei gostoso…adorei…apanhar…vc bate gostoso…bem que mamãe adora…vou querer apanhar sempre…o patrãozinho tem razão quando diz que putinha vadia tem que levar uns tapas…pra aprender a dar mais gostoso…vou querer mais…quero aprender…tudo!

-sua tarada…acho que vc é uma ninfomaníaca…tem tesão demais…mas eu sei como acalmar vadias…pede putinha…pede…o que vc quer…que eu faça com vc agora…pede…vadia!

-acho que o patrãozinho…devia meter esse pauzão na minha bucetinha virgem…tira meu cabacinho logo…quero dar…pra vc…me come…logo…seja meu macho também…mete esse pauzão!

Ele então pegou um travesseiro e todo safado disse:

-deita com a bundinha pra cima vadia…ja que vc quer dar…pra mim…vou te comer então do jeito que eu imaginei te comer…por trás…encaixado nessa bunda linda e gostosa…deita…vadia…

Imediatamente fiz o que ele mandou…e logo senti a língua dele deslizando por toda minha bucetinha e pelo reguinho do meu cuzinho…eu rebolava e gemia sem pudor dizendo:

-ahh…que delicia…patrãozinho…que língua gostosa…continua…adoro sentir sua boca…na minha bucetinha virgem…ahh…

Logo senti o patrão se deitar em cima de mim…aquele pauzão deslizava por entre minhas coxas e roçava minha bucetinha…eu rebolava querendo sentir ainda mais…e foi então que a cabeça daquela pica enorme e dura se encaixou na entrada da minha bucetinha e então Dr . Moacyr disse todo tesudo:

-agora vc vai se tornar uma putinha de verdade…vai levar pica de macho…vagabunda safada…vou meter na putinha vadia…vou te comer vadia!

Aquela pica grossa e dura começou a entrar em mim…dei um grito quando rompeu meu cabaço…e logo aquilo tudo estava dentro de mim…me senti rasgada ao meio…mas meu patrãozinho nem quis saber…em segundos metia com vontade…enfiava e tirava com violência dizendo todo tarado:

-pronto vagabunda…agora vc é uma vadia arrombada…rebola putinha…rebola na pica do teu macho…vadia safada…rebola que vou encher essa buceta de porra…vagabunda…puta…cadelinha…ahhhh!

Ele deu um grito e começou a gozar…quando senti o calor daquela porra fervente me convulsionei por inteira e gozei intensamente…gemendo escandalosamente naquela vara enorme e grossa…que delicia sentir um macho dentro de mim…meu corpo adorava essa sensação!

Depois de alguns minutos ofegantes e extasiados começamos a nos recuperar e então vi que o travesseiro embaixo de meu ventre estava cheio de sangue misturado com porra que escorria da minha bucetinha não mais virgem. Já era uma mulher de verdade…ou melhor…uma putinha pronta pra meter gostoso. Depois de um banho gelado meu patrãozinho voltou a meter aquela pica grossa na minha bucetinha inchada e arrombada e novamente o tesão tomou conta do meu corpo cheio de desejos incontidos.

No outro dia quando mamãe resolver me chamar pra conversar a respeito de tudo que estava acontecendo entre ela e o Dr. Moacyr, nem esperei muito e abri o jogo dizendo que já não era mais cabacinho e contei como tudo tinha acontecido. Pedi que ela não ficasse magoada comigo e nem com o patrão, pois praticamente do jeito que tinha feito com ele não tinha homem que resistiria não comer uma virgem tão putinha e oferecida quanto eu tinha sido.

Minha mãe ficou sem reação ao ouvir da boca de sua filhinha querida tanta safadeza que tinha feito, mas depois de um tempinho ela me abraçou e beijou toda carinhosa e disse que nossa família era apenas eu e ela e que nada que acontecesse deveria fazer como que ficássemos magoadas uma com a outra.

Também fiquei sabendo mais um segredinho da mamãe. Disse-me que o patrão sempre fora muito generoso com ela pois desde quando começou a trabalhar ali. Todo mês além do salário que recebia pelo trabalho domestico também recebia uma boa quantia de dinheiro, pelos “serviços sexuais prestados”. Hehe. Ela então disse que já tinha uma ótima poupança guardada.

Foi então que brinquei com mamãe dizendo que eu deveria reclamar os meus direitos “sexuais” e receber uma boa mesada também…afinal ele tinha tirado meu cabacinho. Hehe!

Mamãe então bem sarcástica e safada disse que os valores estavam invertidos nesse caso…que do jeito que tinha acontecido…eu é que praticamente tinha estuprado o patrão.

Depois da minha primeira vez, viciei na pica do Dr. Moacyr e ele logicamente adorou comer uma putinha ninfeta e tesuda que nem eu.

Logo perdi o cabacinho do cuzinho…nossa doeu demais…porem me acostumei rapidamente e como mamãe passei a adorar sem enrabada pelo patrãozinho tarado e sádico.

Depois de um mês aconteceu um acidente com um dos filhos do patrão nos EUA e a Dra. Raquel como mãe toda preocupada, foi visitar o filho e o Dr. Moacyr ficou sozinho na mansão.

Foi então que a safadeza descambou de vez…o patrão quase todo dia comia tanto mamãe quanto eu. Ele queria transar comigo e mamãe juntas…mas ela se recusava…mas logo a resistência dela foi vencida…e pela primeira vez o patrão comeu as duas putinhas juntas no sofá…uma ao lado da outra…enrabando as duas vadias deliciosas como ele nos chamava.

Tudo ficou muito melhor ainda e a vida continuou maravilhosa e sem problemas. A Dra. Raquel nunca descobriu as putarias do patrão ali em casa…ou fingia que não sabia…principalmente porque eles tinham muito dinheiro e ricos nunca gostam de dividir fortunas.

Formei-me em medicina e hj sou uma ginecologista com uma clinica excelente e tudo corre as mil maravilhas…mamãe e eu vivemos felizes em nossa própria casa.

O Dr. Moacyr agora com 52 anos ainda nos visita, mamãe adora dar pra ele ainda…mas eu hj gosto de homens mais jovens e insaciáveis…pois continuo uma ninfomaníaca incorrigível…preciso de paus grossos e sempre duros pra satisfazer meu apetite inesgotável.

Autor: g7p

Minha namorada e meu amigo da Faculdade

copiado de WWW.SONHODEMANSO.BLOGSPOT.COM (8)

Como disse em meus outros contos namoro uma menina chamada Rafaela de 19 anos .

vou direto ao acontecimento , pois como disse que são reais , ja contei oq precisam saber sobre nos .

estava em casa ,esperando a Rafa e um amigo que iam chegar .

Chegou meu amigo que eu tinha conhecido a pouco tempo , seu nome era Felipe , como estudavamos juntos, eu sempre contava da Rafa , oq faziamos e tals , e eu sabia que ele era meio safado, dava em cima de todas as meninas .Um dia estava na sala de aula com ele e acabou que ele me mostrou uma foto de uma menina nua , que foi mandada pra ele , até fiquei excitado com aquela foto e falei ” olha isso aqui” era uma foto da Rafa que ela tinha me mandado mostrando o seios, e contei que era minha namorada e tals, ele falou durante semanas sobre ela e tudo .

Logo em seguida o interfone tocou e a Rafa subiu , quando ele viu ela , ele ficou na dele e tals , mas bastou 2 minutos e ele ja tava dando em cima dela na cara dura , fomos assitir filme e tals, como eu disse a Rafa nao é nenhuma santa , e o Felipe nao era de se jogar fora , o papo deles foi rolando e tudo , chegou até no ponto de eu estar no sofa com ela e ele segurar a mão dela, e entao ele virou pra ele e disse ” vc sabia que eu ja vi seus peitos ?” ela olhou pra mim , eu fiquei sem graça e falei ” ah foi troca de favores ” , conversa vai , conversa vem , e ele disse ” vc podia mostrar eles agora né “, ela olhou pra mim , ” ah ja que meu namorado não se importa em mostrar”, e tirou a camiseta e o sutien, fiquei com muito ciumes, tentei cobrir , mas ela saiu de perto, e falou ” pode toca se quiser”, e foi oq o Felipe fez ,ficou apertando e tudo , até que agarrou ela e beijou, nesse tempo ele apertava a bunda dela e tal , eu não cheguei a dizer , mas ele era uns 2 anos mais velho que eu e mais alto ! Nao havia como segurar ele, entao disse “vai comer ela agora é?, só falta”, rafa respondeu ” ja que vc gosta de me olhar sendo exibida entao eu vou dar pra ele “, ela abaixou pegou sua calça, tirou seu pinto pra fora e chupou, ficou uns 10 minutos, sugando aquele pinto, que sinceramente , era grande , ele colocou ela no sofa , e chupo sua buceta, logo depois colocou ela de quatro e começou a comer a buceta dela, a Rafa gemia pra caralho, o felipe dava tapões e puxões de cabelos , apertava, pra nao ficar de fora com cara de besta , fui entra na transa, ele me segurou e me jogou pro lado, continuo comendo ela , em diversas posiçôes, até que , colocou ela de quatro novamente , e forço anal , que para meu espanto aconteceu, entro ate o fim na bunda da Rafa , a filha da puta nunca fez anal comigo , ele metia com força e ela gemia, metia com raiva, até gozar, encheu a bunda dela de porra , ela levanto e pingava aquilo da bunda dela, eles foram tomar banhos juntos, deixaram a porta aberta e eu escutei , pq vc nao fica comigo só pra eu te dar uns pegas desse, e foi oq aconteceu , no dia seguinte ela terminou comigo , e no fim de semana ela postou fotos da viajem que fez com o Felipe , onde aquele cu nunca deve ter levado tanta rola , algumas semanas depois ela me ligou pedindo pra volta e tal, e acabamos voltando.

Autor : FerrerTony

dando pra 7 depois do trabalho

Olá meu nome é Bruna, sou morena, seios médios, bubum grande cintura fina e coxas grossas. Bem o tipo de mulher brasileira. Sempre fui bem safada, desde pequena já entrava em sites de sexo e sempre senti um tesão por transa com varios homens.

Já tinha trandado com 2 ou 3 caras de uma vez só quando eu tinha 17 anos e foi o maximo. Um pouco mais tarde com 22 passei por uma experiencia maravilhosa. Tudo começo quando eu trabalhava numa sorveteria, bem perto da minha casa, mas longe o suficiente pra anadar uns 30 minutos.

Uma noite de verão eu estava lá trabalhando com a sorveteria cheia, quando entraram 3 homens de uns 30 anos meio bebados e me viram de vestidinho branco até o meio da coxa e mexeram comigo me chamando de gostosa. Fiquei cheia de tesão , mas me dei ao respeito já que estava no trabalho. Servi eles e eles foram embora.

2 horas depois o meu chefe resolveu fexar e já estva bem tarde, mas como estava calor achei que teria bastante movimento nas ruas. Fui andando e pensando num conto que tinha lido sobre uma garota que havia sido violentada e adorou. Imediatamente fiquei toda molhadinha esperando que algum tarado aparecece.

Mas a frente numa esquina vi um carro estacionado com vozes altas de homens, fui passando sem nem perceber que eram os mesmos da sorveteria, mas estavam com mais alguns. Um deles me viu e gritou “ olha se não é a gostosa do sorvete, vem cá docinho, quero esperimentar você também” olhei de canto de olho e descidi ir. Não sei da onde tirei coragem mas fui.

Cheguei perto e ele passou a mão na minha bunda “ essa é boa, quem á afim de ir lá pra casa fazer uma festinha com a putinha?” os amigos dele foram até mim , e eu vi que eram 7, me pegaram e me colocaram no carro. Com medo mas com muito tesão entrei sem dar uma palavra. Eles começaram a passar a mão pelo meu corpo e abaixaram para chupar meus peitos, chupavam tanto que parecia que iam arrancar. Após uns 10 minutos chegamos na casa.

Era bem grande, e me senti meio tensa pois era a primeira vez que eu ia pra casa de um desconhecido rodiada de homens.

O dono se aproximou e começou a conversar comigo

– e então gata, como é o seu nome?

– Bruna. – respondi meio sem jeito. Um outro cara falou

– nome de putinha mesmo. – e os outros riram e concordaram

O dono pegou a minha bolsa e colocou num canto, veio na minha direção e começou a me beijar, eu retribui com intencidade enquanto ele explorava meu corpo.

– Nossa essa safada já ta toda molhada. Hoje eu vou comer você inteira junto com os meus amigos. Mas fica tranquila, vamos te foder todinha mas vamos pagar pelos seus serviços.

Fiquei absmada, nunca pensei em receber pra dar pra alguém , ainda mais sentindo o prazer que eu estva sentindo.

Ele veio e tirou o meu vestido me deixando só de calcinha, meus seios a mostra deixando todos eles loucos por mim. Eles vieram chegando perto e o dono me mandou ajoelhar, e chupa-los. Claro que eu adorei a ideia, já que eu fazia um boquete que todos já elogiaram.

Vi todos aquelas picas enormes a minha disposição , e não sabia nem por onde começar, pegei eu com cada mão e abocanhei um mais proximo da boca e lambi da cabeça até as bolas e depois engolindo todo. Eles me davam tapas na cara e me xingavam de vadia, porca, puta e eu adorava. Apertavam meus peitos e chupavam.

Um deles me pegou tirou minha calcinha e começou da lamber minha bucetinha que já estava encharcada pedindo pica. Ele enfiava a lingua e o dedo enquanto continuavam a abusar da minha boca.

Outro me pegou no colo e me sentou em cima do pau nele que era grande e parecia que ia explodir de tanto tesão, e eu cavalguei como louca naquela tora maravilhosa. Outro veio e sussurou no meu ouvido “ agora sua puta , vai ter um pau no cu tambem” . cuspiu no meu cu e começou a colocar, eu sem querer mordi o que tava na minha boca de dor, e levei um tapão na cara por isso. Logo comecei a rebolar com todos os meu buracos sendo fodidos sem dó.

Eles iam revesando de buracos até que começaram a gozar. Me deixaram no chão e todos gozaram em cima de mim, alguns até mijaram junto de tanto prazer. Deram mais alguns tapas na minha cara e na bunda e me largaram ali.

Me senti usada por inteiro. Minha buceta ardia, meu cu tava todo arrombado, minha boca dormente e tava toda suja de porra. Mas me sentia muito satisfeita. Adormeci ali no chão e acordei 2 horas depois com agua na cara. Me deram um banho na mangueira, enfiaram ela na minha buceta e no meu cu.

– Agora tá limpinha pra dar pra outros por ai.

Me levaram de carro até a esquina onde me acharam e deram 500 reais pelo serviço.

– isso foi pelo seu serviço maravilhoso putinha. Pegamos o numero do seu celular e vamos ligar quando quisermos de novo.

Voltei pra casa e dormi toda dolorida.

Transei com eles mais umas 5 vezes depois disso.

Autor: Bruna

Férias na fazenda do titio

Olá, meu nome é Bruna, e escrevi o conto “Dando pra 7 depois do trabalho”. Esse assim como o outro também é verdadeiro, e eu amo experimentar coisas novas por isso podem me chamar de louca pelo que eu faço, mas só vocês experimentando pra saberem o prazer que dá.

Bom como o outro conto fez bastante sucesso, resolvi escrever sobre o dia em que eu perdi a minha virgindade.

Eu decidi ir passar as férias na casa do meu tio no sitio dele, só que por ser a única adolescente de 14 anos acabava ficando sozinha a maior parte do tempo. Sempre fui bem taradinha, e assim que cheguei percebi que tinham 2 homens que cuidavam dos animais, o Pedro devia ter uns 38 anos não muito atraente mas com o corpo em forma, e o Marcos uns 27 anos e bem bonito.

Meu tio vivia saindo pra fazer vizitas a outras fazendas e eu ficava em casa sozinha. Um dia ele saiu bem cedo e disse que voltaria bem tarde, pois ia praticamente viajar. Eu estava entediada e resolvi ir andar pelo sitio um pouco, quando escuto eles conversando e gemendo. Fiquei escondida espiando aqueles dois machos fuderem uma egua bem novinha.

Aquela cena me fez ficar molhadinha, então resolvi provocar. Fui pra casa e coloquei um shortinho jeans bem curtinho, e um top quase transparente sem sutiã, e fui lá pro quintal tomar um sol. Passou uns 10 minutinhos e vi o Marcos me espiando e apertando o pau por cima da calça. Fingi que não tinha visto e decidi tirar o top e o shot, ficando só de calcinha fio dental.

Aquele homem endoidou, chamou o Pedro e disse

– essa putinha tá com fogo, ela quer pica que eu sei.

Fiquei com um pouco de medo, pois ainda era virgem e morria de medo de doer ou engravidar. Mas continuei lá figindo que não tinha visto e nem ouvido eles. Levantei e fui pra cozinha acabei perdendo a coragem de seduzi-los. Mas assim que entrei senti alguem me puxando e rossando o pau duro e enorme na minha bundinha. Quando tentei gritar Marcos disse

– pode gritar que ninguem vai te ouvir putinha. Eu sei que você quer dar, eu vi você espiando agente. Pode relaxar que nós vamos fuder você mais do que a egua.

Fiquei em estado de choque e prazer, não tinha como fugir, eu iria ser violentada ali e mesmo assim estava amando tudo aquilo.

Pedro me jogou no chão e mandou eu mamar a pica dele. Era enorme e dura, quase vomitei, pois ia à minha garganta. Marcos estava se punhetando vendo a cena louco pra que chegasse logo a sua vez.

Pedro tirou o pau da minha boca e disse

– agora eu vou fuder essa bucetinha linda e apertadinha.

– não por favor, eu sou virgem. – eu supliquei, mas louca pra que ele ignorase o meu pedido e me fudesse logo.

– e eu te perguntei por acaso? Só não bato na tua cara, por causa do seu tio.

Me colocou em cima da mesa e abriu minhas pernas com violencia. Primeiro ele cheirou minha xana e lambeu

– olha que cadela, tá gostando da putaria, dá uma olhada marcos, toda melada.

Marcos me calou com o seu pau que era maior. Pedro colocou na portinha e enfiu tudo de uma vez. Urrei de dor, e comecei a me debater pedindo pra ele parar, pois estava doendo. Senti o sangue escorrer e ele disse na maior cara de pau

– não é que ela era virgem mesmo – e riu, começou a tirar e colocar, bem devagarsinho até eu me acostumar. Comecei a sentir prazer e sem me dar conta comecei a rebolar.

Pedro foi almentando a velocidade e marcos endoidava na minha boquinha que chupava com gula. Derepente ele tirou o pau da minha boca e falou que tava na hora da DP. Nossa fiquei com muito medo, se buceta tinha doido imagina no cu?

Pedro deitou e me mandou cavalgar em seu cacete, empinando bem o rabo pro marcos. Ele cuspiu no meu cuzinho e encostou a cabecinha na portinha. Começou a empurrar devagarzinho. Ao contrario de pedro que socou de uma vez.

Logo tudo estava dentro e eu rebolando e gemendo com dois cacetoes dentro de mim. Fui nas nuvens com aquilo tudo até que os dois gozaram no fundo do meu ventre me vazendo ter um orgasmo marivilhoso. Fiquei toda melada e com as pernas bambas.

Depois disso fiquei mais uma semana com eles, e era foda todos os dias. De noite as vezes eles entravam escondido no meu quarto e faziam sanduiche de bruna.

Que delicia. Foram as melhores férias da minha vida.

Autor: Bruna

Garota de programa por uma noite

Uma noite dessas estava conversando com um cara no msn, começamos a trocar histórias picantes que já tinham acontecido conosco. Não deu outra, acabei cheia de tesão e sem ninguém por perto pra matar minha vontade.

Era um pouco tarde mas mesmo assim tinha resolvido dar uma volta pra esfriar a periquita. Pois bem, tomei um banho, vesti uma regata branca apertadinha, um shortinho e um salto. Nada de mais a não ser pelo fato de estar sem calcinha.

Fui parar no metro e enquanto esperava um cara se aproximou e disse no meu ouvido

– nossa vc é muito gostosa, aposto que ganharia uma grana legal trabalhando com as minhas meninas. E ai, topa?

Obviamente que já sabia qual era a proposta pois me faziam constantemente, já tinha transado por dinheiro mas nunca me considerei uma “profissional do sexo”. Pensei um pouco no assunto e minha bucetinha não parava de piscar.

– Eu topo, mas só por uma noite. Não quero nada sério.

– Ok gata, vem comigo. Eu posso saber o seu nome?

– Bruna.

Ele me levou para um prédio que não ficava muito longe dali, era bem desarrumado e tinham vários quartos. Entramos numa salinha que fedia a cigarro e bebida, aquilo só me deixava mais exitada.

– Quero que vc fique nua pra mim avaliar seu preço.

Tirei a roupa tremendo, ele me olhou com um olhar de aprovação, pegou nos meus seios, deu uns tapas na minha bunda e falou o preço que seria, disse qual seria minha comissão de cada cliente e o aluguel da casa. Depois disso, me deu um saco com varias camisinhas e um vestido que mal tampava a bunda e os peitos.

– Vai lá pra dentro e quando eu chamar você leva o cara pra um quarto desocupado, faz o serviço por 1 hora, toma um banho bem rápido e volta pro próximo. Nada de gracinha hein vadia, aqui o negócio é sério.

Me virei, ele deu outro tapa na minha bunda, entrei no quartinho dos fundos e esperei.

Uns 10 minutos depois, ouvi a batida na porta pra mim ir. Entrei na sala toda tímida e observei o cliente pagando Denis, o dono.

O homem aparentava ter uns 43 anos, corpo razoável e cara de sério, quando ele estava pronto, me agarrou pela cintura e me conduziu para o quarto. Dava pra ver que não era sua primeira vez ali.

– Nossa, mas que puta gostosa ele arranjou hein. Como é seu nome ?

– Bruna.- eu disse com a voz baixa mas audível.

– claro, nome de vadia mesmo. Sabe, eu adoro garotas tímidas, porque eu adoro mandar e tímidas obedecem com muito gosto.

Chegamos no quarto, tinha uma cama velha, um banheiro minúsculo e uma lâmpada bem fraca. Ele me encostou na parede com força, abaixou me vestido liberando meus peitos grandes. Começou a chupa-los cheio de vontade quase arrancando os bicos.

Tirou a roupa toda , pegou minha cabeça e me fez ajoelhar aos seus pés. Enfiou aquele pau enorme na minha boca, engasguei muito mas ele não estava nem ai, fodia a minha boca como se fosse uma buceta.

– aaah assim safada, que boquinha gostosa. Eu vou gozar na sua garganta sua cadela.

Me jogou na cama e montou em cima de mim, enfiou o caralho todinho na minha buceta que já tava escorrendo de tanto tezão, meteu muito rápido e como muita força. Puxava meu cabelo e batia na minha cara.

– Isso sua égua, dando de quatro e ainda apanhando na cara feito uma mesmo. Que buceta deliciosa, apertadinha. Nem parece que é puta.

E metia , metia de uma forma tão violenta que eu gozei umas duas vezes. Na hora que ele foi gozar tirou o pau da minha buceta e jorrou aquela porra na minha cara toda. Ele não deixou eu me limpar. Saiu de cima de mim e deu um tapa na minha bunda que ficou a marca da mão.

– Vadia safada, adorei te fuder. Foi o dinheiro mais bem gasto daqui, e eu vou voltar. Te comer de todo jeito imaginável, deixar a minha marca em você! PUTA.

Saiu do quarto me deixando lá toda gozada, porra na cara e a buceta esfolada.

Gostaram do conto? Depois publico a continuação dos outros clientes da noite.

Autor: Bruna

Do ônibus ao mato.

Como vocês já devem ter visto, eu não me contento com uma piroca só, por isso vivo passando por situações inusitadas que me deixam louquinha para compartilhar com meus leitores.

Bom, esse caso aconteceu a cerca de 4 dias. Eu estava voltando de uma festa por volta das 2 da manhã, com um vestido extremamente curto pois não sabia que ia ter que voltar de ônibus. A calcinha era preta e minúscula de renda para não aparecer. Havia um homem de uns 38 anos junto comigo no ponto, e me secava de cima em baixo, fiquei meio arrepiada, mas logo meu ônibus chegou.

Era daqueles bem grandes, e pela hora estava super vazio, fui para o ultimo banco e me sentei. Logo em seguida o tal homem se sentou bem ao meu lado. Tentei tampas um pouco das pernas com as mãos, pois o jeito que me olhava estava me constrangendo, mas não adiantou muita coisa então acabei deixando minhas coxas aparecerem mesmo.

Depois de uns 5 minutinhos, ele chegou pertinho , cheirou meu cabelo e disse baixinho “quetinha, só estamos eu e você não adianta gritar.”

Em seguida ele meteu a mão no meio das minhas pernas e apertou com força a minha bucetinha que instantaneamente ficou molhada. “Vai dar pra mim agora, tá? Sem gracinha.” fiz que sim com a cabeça e na mesma hora ele empurrou minha cabeça em direção à sua calça que já estava quase rasgando de tão duro o pau. Comecei a mamar devagarinho, babando nele e engolindo o maximo que podia até quase vomitar. Ele enfiava o dedo na minha xana com força meu deixando louquinha.

“Vem cá safada, vou te dar o que vc ta querendo!” me fez sentar de frente naquela piroca enorme e babada. Rebolei bem gostoso sem gemer por estar num lugar publico. Gozei bem rápido por já estar segurando a algum tempo, já ele demorou um pouco e gozou fora de mim. “Se eu te achar por ai , vou foder você de novo sua vagabunda”. Me arrumei e desci.

Enquanto andava, um carro com 4 homens bebados pararam do meu lado “dando dentro do onibus gostosa? A gente viu tudo” na hora não acreditei que alguém tivesse visto, mas tinham as janelas que naquele momento nem tinha prestado atenção.”Entra aqui, vamos fazer uma festinha.” eles disseram, mas como estavam bebados e eu exausta, recusei. “Só que não é um pedido moça, é uma ordem. Tiramos umas fotos e vão para na internet se você não vier.” Congelei na hora.

Um deles saiu e me puxou para dentro do carro, me deixei levar pelo susto. Eu estava enganada, eles não estavam bebados, só entusiasmados. Fiquei meio assim mas logo entrei no meu momento putinha e comecei a deixa-los passar a mão em mim. No banco de traz eu estava entre dois caras que se apresentaram como Claudio e Raphael, os da frente eram Pedro e Felipe.

Claudio estava chupando meus peitos enquanto eu batia uma punheta para os dois,Rapha beijava meu pescoço e falava putarias no meu ouvido do tipo “safada, acabou de dar pro cara dentro do onibus e agora vai dar pra quatro estranhos. Muito putinha, vou te comer de jeito!” Tava tão bom ali que nem reparei para onde estavamos indo, pararam o carro no meio do mato, fiquei meio assustada, mas com muito tesão.

Saimos do carro e já vieram todos para cima de mim, fizeram uma roda comigo no meio de joelhos e comecei a chupar um por um enquanto eles apertavam meus seios que estavam pra fora. “Chega de lenga lenga, vem aqui sua cadela” Pedro disse rasgando o meu vestido e me dando um tapa na cara, ai que delicia.

Arrancaram minha calcinha e meteram na minha buceta que já escorria de tanto tesão. Nem deu pra ver quem metia, pois estava super escuro, mas sentia eles revesando até que resolveram comer meu cú. Dupla penetração maravilhosa.

Eram tapas na cara, na bunda, apertavam meus peitos, chupavam meus mamilos, fodiam todos os meus buracos ao mesmo tempo. Como estava bom. “Porra, essa cadela não presta nem pra ser puta, que pelo menos recebe pra dar…” disse o Felipe, “Essa vadia serve pra ser escrava numa boa, eu ia foder ela tanto que nem ia andar” respondeu Claudio.

Eu não podia falar nada que levava um tapa e enfiavam uma rola na minha boca. Estava sendo usada de todo jeito até que gozaram, Claudio e Pedro no meu cú, Felipe na minha buceta e Rapha na minha boca. Nisso o dia já estava amanhecendo e eu toda melada e fodida no meio do nada.

Me pegaram, colocaram só a minha calcinha em mim e me largaram na frente de um canil.

Nisso surgiu outra história, mas essa eu conto outro dia. Beijos

Autor: Bruninha

A DESPEDIDA DE SOLTEIRO

Bem queridos amigos, aqui estou mais uma vez para contar mais uma das minhas putarias, como já tenho outros contos publicados aqui, quem quiser saber como eu sou leiam os outros em especial o primeiro, pois bem vamos aos fatos.

No início desse ano comecei a sair com um rapaz chamado Paulo, um cara muito legal e gostoso, moreno, alto, forte 26 anos, e que me realizava muito na cama, e foi com ele que realizei mais uma das minhas transas loucas, em uma de nossas transas eu confidenciei a ele que sentia tesão em gang bang e que já tinha feito, ele na hora se espantou mas falou que achava isso muito excitante, então perguntei se ele toparia me dividir algum dia com outros homens, ele falou que sim, já que nós éramos apenas ficantes e que se eu gostava de ser puta por ele tudo bem.Ficamos então de marcar algum dia para realizarmos isso.Passados alguns dias Paulo falou pra mim que tinha arrumado uma festinha pra mim,falou que tinha um primo que iria se casar e que ele mais alguns amigos e parentes queria fazer uma despedida de solteiro pra ele, eu falei que toparia,mas que não podia ser também muitos, se não eu não aguentava, ele falou que no máximo uns 10 ou 12, eu falei que topava e combinamos como seria,nós iríamos para o sítio de um dos amigos e eu ficaria escondida em um outro quarto sem o primo dele saber do que eles planejavam.

na sexta feira depois do trabalho passei em casa tomei um banho, aparei os pelos bem baixinho, coloquei um vestidinho branco, calcinha branca bem pequena e sandalinha de salto. Quando foi por volta das 8 da noite, o Paulo chegou de carro e me chamo para irmos, quando entrei no carro estava mais dois colegas dele aos quais ele me apresentou, o Renato, um moreno claro de cerca de uns 22 anos, e o Robson, um loirinho magro de uns 28 anos. Entrei e eles começaram a me elogiar dizendo que o Paulo havia falado muito de mim e que não tinha mentido em nada, o paulo brincou e falou para eles se segurarem que eu tava prometida pra outro naquela noite.Quando chegamos, eles me levaram pra um outro lado do sítio onde ficava um outro quartinho, eu entrei e fiquei lá deitada e acabei tirando um cochilo, para poder estar mais disposta depois.

Quando o Paulo foi me chamar já era umas 11 da noite, me perguntou se eu estava pronta eu falei que sim, perguntei a ele quantos caras tinham lá e ele falou que no total 10 mesmo, então fomos. Chegando na casa o primo dele o Fabio estava sentado e com uma venda nos olhos, Fabio era moreno claro e tinha 27 anos,era meio gordinho,e cerca de 1,80, mas com um belo pau que deu pra eu ver de cara, pois eles haviam deixado ele nú no sofá. Então o Paulo mandou que eu começasse a brincadeira com o primo dele. Me ajoelhei na frente do Fabio e quando peguei em seu pau ele se assustou,perguntou o que eles estavam fazendo, o Paulo mandou que ele ficasse calmo que ele já saberia logo, então coloquei seu pau na boca e comecei a chupa lo bem devagar logo seu pau já estava totalmente duro, deveria medir uns 19 ou 20 cm bem grosso e a cabeça bem rosadinha. Mesmo dizendo que não podia fazer aquilo,que ele iria se casar, Fabio não aguentou e começou a gemer e já puxava minha cabeça pra junto dele, olhei em volta e todos estavam mexendo no pau,eu fiquei muito excitada com a cena e já sabendo que seria a puta deles depois.então eles mandaram o Fabio continuar de venda, eu fui coloquei uma camisinha no pau dele e sentei nele de frente, nessa altura Fabio já nem lembrava que ia se casar, só gemia e dizia que tava muito gostoso, me perguntou qual era meu nome, eu falei bem baixinho no seu ouvido que me chamava Carol,ele começou a me puxar pra junto dele e me chamando de safada, de vadia e chupava meus seios, eu já tinha ficado excitada com a situação em si, e cada vez mais me molhava de tesão. Fabio falou que queria meu cu, eu falei que tudo bem, então levantei, virei de costas pra ele, ajeitei o pau na portinha do meu cu e fui deslisando até seu pau entrar por completo em mim, a essa altura alguns já estavam nus se masturbando e outros de cueca. Comecei a acelerar os movimentos e Fabio começou a gemer mais forte e senti seu pau inchando dentro do meu cu e ele gozou me apertando contra ele.Assim que eu saí de cima dele,eles tiraram a venda dele e ele olhou para mim e falou que tinha adorado, que eu tinha um cuzinho muito gostoso. Então o paulo falou pra ele tirar a camisinha e ir se limpar que a festa iria começar com eles. Então fui apresentada aos outros 6, o Carlos, Alex, Allan, Fabricio( irmão do Fabio),Diego e o Marcos(irmão do Paulo).Todos já estavam nus,me cumprimentaram e falaram que já estavam loucos para me comer, eu falei que tudo bem que seria a putinha deles, como eu sempre gostei de ser.Então fizeram uma roda em volta de mim, e eu comecei a chupa los um a um, todos possuíam rolas na média entra 17 e 21 cm, eu os chupava saboreando cada rola com gosto, algumas já estavam meladinhas pois alguns se masturbavam enquanto eu dava para o Fabio. Então eles me pegaram e me colocaram em uma mesa que ficava no canto da sala, formaram uma fila organizada pelo Carlos que era o mais velho deveria ter uns 34 anos e o primeiro a me foder foi o Allan ,um moreno alto quase 1,90 e tinha apenas 18 anos,ele socou com força na minha buceta que já tava aberta pelo Fabio,depois dele veio o Alex,o Fabricio,o Carlos,o Paulo,o Robson,o Renato,o Marcos e o Diego,cada um socava e me comia por cerca de 3 ou 4 minutos e quando achavam que iam gozar paravam.Depois me levaram de volta para o sofá e começaram de novo a se revezar em mim,alguns na buceta outros no cu,nessa altura o Fabio já tinha voltado e começou me comer de novo,após todos se revezarem em mim o Carlos me pegou ,deitou no chão e me pos por cima dele cavalgando nele e falou que era pra fazerem dp em mim, o primeiro foi o Paulo,e por aí foi ,todos comendo meu cu em dp junto com o Carlos,enquanto eu era duplamente fodida ainda chupava alguns que acabavam gozando na minha boca,que foi o caso do Fabricio,do Diego,do Allan e do Renato.eu já estava totalmente exausta então os que não haviam gozado ainda começaram a gozar também, o Carlos gozou enchendo minha buceta de porra, o Paulo gozou no meu cu,já o Robson, o marcos, o Fabio e o Alex gozaram em meu rosto,boca e seios, eu fiquei toda melada com porra escorrendo pelo corpo todo, fiquei pelo menos 5 minutos deitada no chão, então fui tomar um banho, o Paulo e o Carlos me acompanharam e me comeram debaixo do chuveiro mesmo,ambos enchendo minha bucetinha de porra de novo.quando saí o Alex,o Allan e o Diego haviam ido embora já,mas deixaram recado para mim que queriam me encontrar de novo que era para o Paulo arrumar outra festa.

Então eles perguntaram se antes de ir eu não poderia dar mais um presente a eles, eu falei que tava muito cansada que no máximo chuparia eles, eles disseram que tudo bem, então chupei todos eles fazendo os gozar dentro da minha boca e eu engoli tudo para não me sujar. Já era 3 da manhã quando o Paulo me deixou em casa, a tarde ainda fui no casamento do Fabio junto com o Paulo, e encontrei com todos lá,claro que os sorrisos foram inevitáveis, pela situação que havíamos vivido na noite anterior.Continuei a ficar com o Paulo mais 4 meses ,nesse período ele me dividiu com alguns outros amigos dele, inclusive com alguns dos que estavam na despedida de solteiro do seu primo.

Espero que gostem de mais esse conto meu.

Autor: CAROL

PERDENDO A VIRGINDADE

Depois de algum tempo e vários pedidos volto aqui para contar como foi minha primeira vez, vários amigos me pediram isso,então resolvi contar agora.

Na verdade como já contei em outros contos sempre fui safada e adorei sexo, desde os 12 anos já fazia safadezas com os garotos principalmente na escola, e já tinha chupado alguns primos também, mas minha virgindade fui perder com quase 15 anos.

Nessa época eu estava ficando com um garoto de 18 anos, apesar de ser mais velho, ele não era tão experiente assim, isso iria descobrir alguns meses depois quando eu tirei a virgindade dele.

Mas o que vem ao caso é que ele tinha um tio que era muito bonito e gostoso, eu como já era bem safadinha tinha várias fantasias com esse homem ( Roberto ),ele tinha cerca de 1,80, 23 anos, moreno, forte e muito gostoso.

Certo dia acabamos indo a uma festa e o Roberto foi conosco, inclusive ele que nos levou. Eu estava com uma sainha branca, blusinha azul, sandália de salto e uma minuscula calcinha rosa, a festa foi rolando e meu ficante o Carlos começou a beber demais junto com os amigos dele, em determinado momento seu tio se aproximou de mim e puxou conversa, ficamos conversando por um tempo até que ele me perguntou se entre eu e o Carlos já tinha rolado algo, eu também tinha tomado um pouco, acabei falando a ele que ainda era virgem, Roberto riu e falou que não acreditava, eu falei que era sim e que não tinha perdido por que não havia arrumado alguém experiente e legal pra transar ainda. Então Roberto falou que adoraria ser esse cara experiente, eu já sentia tesão por ele, já estava excitada pela situação, e brava com o Carlos por ele ter me abandonado na festa pra ficar com os amigos, falei que adoraria mesmo que fosse com alguém como ele, então ele me falou: Vem aqui comigo.

Saímos e ele me levou até o carro dele, mal entramos ele já começou a alisar meu corpo, beijando meu pescoço, alisando minha bucetinha já toda úmida, não me contive e tirei seu pau pra fora e comecei a chupar, era bem maior do que os dos garotos que eu costumava ficar, tinha uns 19 cm e bem grosso, Roberto gemia e dizia que eu era uma putinha deliciosa, que sabia chupar como mulher, então tirou minha calcinha e meteu a língua na minha xana, me fazendo ver estrelas de tesão, em menos de dois minutos soltei um gemido rouco de tesão e gozei na sua língua. Roberto me olhou nos olhos e perguntou se era aquilo que eu realmente queria ou se eu queria parar, eu falei pra irmos até o fim. Então ele saiu com o carro e me levou para sua casa, nessa hora nem pensamos mais no Carlos.

Chegando em sua casa ele me deitou em sua cama, tirou o restante da minha roupa, tirou a dele, colocou uma camisinha e veio por cima de mim, no inicio só esfregava seu pau na minha bucetinha que já estava sedenta esperando por aquilo e chupava meus seios, então encostou sua rola na minha bucetinha e foi forçando, senti dor e gritei, ele parou e continuou me beijando e chupando meus seios,então deu mais uma forçada e entrou mais um pouco, eu soltava gritinhos e ele parava até me acostumar, quando ele empurrou mais um pouco pela terceira vez, senti como se algo tivesse arrebentado dentro de mim, doeu e ardeu muito,mas ao mesmo tempo foi aliviante, senti algo escorrendo, era meu sangue, Roberto perguntou se doía muito eu falei que não muito, então ele deu uma última empurrada e seu pau entrou todo, eu já não sentia tanta dor, Roberto se movimentava devagar pra não me machucar, apesar de ainda doer um pouco, eu comecei a sentir uma sensação que nunca tinha sentido quando me masturbava, meu corpo esquentava, a barriga sentia frio, senti meu clitóris inchando então comecei a gozar, nesse momento nem sentia dor mais só prazer,aquele homem estava me fazendo mulher de verdade, então amoleci de cansaço, Roberto continuou se movimentando devagar dentro de mim, até que senti seu corpo se contrair e ele me puxando pra junto dele e ele gozou. Ficamos mais uns 5 minutos agarrados até seu pau amolecer dentro de mim. Quando me levantei minha xaninha saia um pouquinho de sangue, Roberto me levou pro banheiro pra tomar banho, Claro que não perdi tempo, acabei o chupando de novo e ele gozou na minha boca.

Eu estava realizada, agora era uma putinha de verdade, havia perdido minha virgindade de forma muito gostosa, num momento meio louco,mas muito gostoso, então nos vestimos e Roberto me levou em casa e falou que voltaria pra buscar o Carlos na festa. No outro dia expliquei pro Carlos que seu tio havia me levado pra casa e ele me falou que ficou tão bêbado que nem lembrava como chegou. Continuei a dar para o Roberto durante mais uns 2 anos,mesmo depois de ter parado de ficar com o Carlos, inclusive foi o próprio Roberto quem tirou o cabaço do meu cuzinho.

Espero que curtam mais esse conto.

Autor: CAROL

Minha festa de formatura

Como prometido volto aqui pra contar o que vivenciei no dia da minha formatura. Como todos já sabem aqui,eu adoro sexo com vários ao mesmo tempo,e essa foi uma transa fantástica,ainda mais por ser em um dia tão especial para mim.

Era um dia especial para mim, pois eu estava me formando no terceiro ano do ensino médio, a minha alegria era tremenda, havíamos contratado um buffet, seria uma festa com todo glamour que se deve ser, meus pais estavam muito felizes por minha formatura, e tudo o mais. Eu estava usando um vestidinho vermelho um pouco acima dos joelhos, uma sandália de salto, sem modéstia, estava linda como muitos convidados me disseram. Tudo correu como combinado, a colação de grau,as homenagens, tudo muito bem feito.Logo após a formatura começou o baile e eu a essa altura já havia tomado algumas taças de vinho e cerveja também,já estava bem alegre.Por volta de 01:30 da manhã,meus pais falaram que iriam embora,e que eu podia ficar e aproveitar pois era o meu dia,e eu já havia falado que iria embora com meu amigo Joel.Assim que eles foram embora eu estava na pista dançando,quando chegou um rapaz da escola que eu só conhecia de vista e começou a dançar comigo, começamos a conversar e ele se apresentou,Emerson era seu nome, me falou que havia sido convidado por uma amiga dele, a Márcia que também era minha amiga.Nisso começou a rolar um funk e eu já meio alta comecei a dançar bem sensual pra ele, e ele como não era nenhum bobo começou a se aproveitar pra se esfregar em mim,numa dessas roçadas eu senti que ele estava de pau duro, e que não era um pau qualquer, deveria ser uma bela pica,grande e grossa, (o que eu confirmei mais tarde).Nisso eu falei a ele: Nossa isso tudo é seu?

Ele me respondeu: Sim, e pode ser sua também é só você querer. Eu disse a ele que adoraria, mas que tinha combinado de ir embora com um amigo, então ele falou que nós poderíamos ir pra casa dele terminar a festa la, que se eu quisesse poderia chamar meu amigo e mais algumas amigas também. Eu falei pra ele que ia falar com o pessoal e que falaria com ele depois. Minha buceta já tava toda molhada de tesão só de imaginar foder com ele. Falei com o pessoal e nenhuma das minhas amigas queria ir, por sorte meu amigo Joel topou ir. Voltei e falei pro Emerson que as meninas não iriam ele falou: Ah que pena! Eu até chamei uns amigos meus pra gente ir pra lá. Eu então perguntei pra ele quantos amigos ele tinha chamado ele falou que quatro amigos. Minha buceta que já estava molhada até piscou de tesão só de imaginar o que poderia rolar. Então falei a ele: Se você não se importar podemos ir assim mesmo. Ele perguntou se eu não me sentiria mal de estar num ambiente onde teria só homens, eu dei um sorriso malicioso e respondi que não. Então voltei falei com o Joel e fomos pra casa do Emerson. Quando chegamos na casa dele, ele me apresentou a seus outros amigos, o Pedro, o Roberto, o Claudinei e o Mario. O Pedro e o Roberto eu já conhecia da escola, e com certeza eles já tinham ouvido falar de mim, já que quando me viram começaram a sorrir entre eles e cochichar.

Quando entramos, o Emerson ligou o som, e foi buscar cervejas pra gente, eu então fui atrás dele, na cozinha eu falei a ele que sua casa era muito bonita, perguntei dos pais dele, ele falou que eles haviam descido pra praia e só voltariam no domingo, que poderíamos aproveitar bem. Nisso ele olhou pra mim e já me deu um caloroso e gostoso beijo, que me fez molhar de vez minha minúscula calcinha. Voltamos pra sala, começamos a beber e a dançar, eu que já estava bem alta por causa da bebida, já dançava bem solta e já estava descalça. O Joel chegou em meu ouvido e falou: Nossa Carol você é bem maluquinha, só você no meio desse monte de homens. Eu respondi a ele: você sabe muito bem que eu amo isso, e você sabe bem que eu adoro uma putaria. Ele falou: Você vai ter coragem de transar com eles? Eu disse que sim. Ele falou que então ia querer também. Eu falei que claro que ele também podia.

Nisso o Pedro voltou da cozinha com uma garrafa de champagne, e falou pra fazermos um brinde a mim, todos concordaram. Então ele se aproximou e derramou todo o champagne pelo meu corpo, fiquei toda molhada de champagne. Então eles se aproximaram de mim e falaram que não podiam desperdiçar, e começaram a me lamber toda. A essa altura eu já estava entregue a eles. Então tiraram meu vestido e começaram a chupar meus seios, minhas costas, barriga, coxas, todo o meu corpo. Eu fechei os olhos e fui sentindo cada centímetro de meu corpo sendo chupado. Nisso tiraram minha calcinha e eu senti uma língua deliciosa e quente invadindo minha buceta, abri meus olhos e vi o Emerson me chupando. Então os rapazes foram tirando as suas roupas e ficando nus, se aproximaram de mim e foram dando suas rolas pra eu chupar, era uma maior que a outra e todas bem grossas como eu adoro, fui chupando uma a uma deixando os mais loucos de tesão ainda. Nisso o Emerson saiu da minha buceta e também veio me dar seu pau pra eu chupar, então pude comprovar o tamanho de seu pau, deveria ter uns 22 cm e bem grosso também. Então me deitaram no tapete da sala e o primeiro a me penetrar foi o Claudinei que socou seus quase 20 cm de uma só vez em minha buceta que já estava ensopada de tanto tesão e da gozada gostosa que havia dado na boca do Emerson. Um a um foram se revezando em minha buceta enquanto que eu ia chupando os um a um também. Então me colocaram de quatro no sofá e foram também se revezando na minha buceta, enquanto eu chupava o pau de cada um ou até dois ao mesmo tempo. Era maravilhoso ser a puta de todos aqueles machos, sendo xingada de todos os nomes, de vaca, vadia, cadela, puta, biscate e eu gozando muito em suas rolas.

Então o Joel se deitou no chão e me puxou pra cima dele atolando seu pau todinho na minha buceta, eu então empinei minha bunda me preparando pro que eu já sabia que iria acontecer, o Mario começou a lamber meu cuzinho e quando ele tava bem molhado socou de uma vez só seu pau nele, eu estava sendo duplamente penetrada e ia mamando sem parar nos outros, nisso o Mario saiu e deu lugar pro Roberto que também não deixou por menos me fodeu com força arrombando meu cu mais do que já estava, depois dele veio o Claudinei, o Pedro e por ultimo o Emerson, todos me rasgando sem dó no cu, então o Joel falou que também queria me fez sair de cima dele e me mandou virar de costas pra ele, e me puxou novamente pra cima dele, dessa vez atolando seu pau em meu cu que já não oferecia resistência em ser invadido por aquele pau. Então iniciaram nova sessão de dupla penetrações em mim. Eu já estava toda dolorida e minha buceta vermelha e toda melada dos meus gozos e dos liquidos dos penis deles. Então o Mario que estava me comendo junto com o Joel anunciou seu gozo e encheu minha buceta de porra, era tanta porra que escorria quando ele tirou, nisso o Pedro também veio e gozou dentro da minha buceta, foi tão gostoso porque ao mesmo tempo o Joel encheu meu cu também com sua porra. Então sai de cima dele e me deitei no sofá e o Claudinei, o Roberto e o Emerson vieram e gozaram muito em meu rosto boca e seios, me deixando totalmente melada e satisfeita de tanta porra. Praticamente desmaiei no sofá, acordei já era umas 05:40 da manhã com o Joel me chamando pra ir embora, todos os outros já haviam ido embora (fiquei triste, pois nem me despedi deles pra agradecer). Então me levantei meio tonta ainda, minha buceta e meu cu ainda escorriam porra, procurei minha calcinha, mas o Roberto havia levado ela de presente. Coloquei meu vestido me despedi do Emerson e fui embora com o Joel, antes de descer do carro ele ainda me pediu uma chupada no pau, o que eu fiz pra poder agradecer, ele gozou fartamente e eu engoli tudinho. Desci e entrei bem devagar pra não fazer barulho pra meus pais não ouvirem. Entrei pro meu quarto tomei um banho delicioso e dormi muito tranqüila, fui acordada por volta das 13:00 por minha mãe me chamando pra almoçar, ela me perguntou como tinha sido a festa, eu respondi que havia sido maravilhosa. E realmente foi, ter dado pra seis caras na minha noite de formatura não poderia ter sido melhor. Com certeza foi uma noite que eu jamais esquecerei em minha vida.

Espero que tenham curtido beijos e até a próxima.

Autor: CAROL

UMA AVENTURA NA VIAGEM

Como vocês já sabem sou apaixonada por gang bang, grupal, enfim ser fodida por vários ao mesmo tempo. Então passo a contar o que ocorreu comigo há uns meses atrás.

Eu havia ido viajar com dois amigos meu, que já tinham me comido em outras ocasiões, o Claudio e o Edson, ambos eram muito bem dotados, me faziam de puta deles direto e eu amava isso e amo. Íamos pela estrada quando um dos pneus furou, os rapazes desceram pra trocar e seguimos viagem, mas como estávamos em uma estrada de pouco movimento, eles falaram que iriam parar em uma primeira borracharia que encontrassem, e foi o que fizeram,na primeira que encontraram eles pararam,descemos do carro, eu estava com uma minúscula sainha e uma blusinha bem decotada. Na borracharia fomos atendidos por três homens, que aparentavam ter entre 30 e 50 anos, quando me viram só faltaram pular em cima de mim. Eu então perguntei se havia algum banheiro que eu pudesse usar,um deles que aparentava ser o mais velho me indicou aonde era e eu fui,confesso que já estava molhada imaginando uma putaria ali,com aqueles homens sujos de trabalho suados,nossa imaginava mil coisas.

Quando estava voltando pude ouvir a conversa deles, um deles perguntou se eu era namorada de um dos meus dois amigos, o Claudio respondeu que não que eu era só amiga deles, um deles falou: Nossa ela é muito gostosa, voces já comeram ela? O Edson respondeu que sim, e ainda falou que eu era muito putinha e safada, eu fiquei mais excitada ainda ao ouvir isso e decidi que iria ser fodida por aqueles machos que queriam me comer.

Então entrei e falei pro Edson: O que você estava falando de mim? O Edson meio sem graça falou que só tava falando a verdade pra eles. Eu então falei pra ele: Ah é assim que você me ve? Então você agora vai ter que me ver dando pra eles e não vai poder nem me tocar. Ele riu e falou que não que se eu desse pra eles ele ia querer me comer também. Eu então perguntei aos três caras: Vocês querem me comer? Eles se olharam e me responderam que sim, eu então falei pra eles que se eles quizessem me comer teriam que fazer o que eu quizesse. Eles falaram que sim, eu então pedi pra eles amarrarem o Edson,e foi o que eles fizeram,amarraram ele num canto. Então eu falei pro Edson, ta vendo agora vai ficar só olhando. O Claudio não concordou muito,mas aceitou pois se não também ficaria amarrado. Então mandei os quatro se aproximarem e comecei a chupar as rolas de um por um, confesso que senti um pouco de nojo naquelas rolas meio fedidas, mas aos poucos aquilo foi me excitando também, apesar e não serem nada além do normal de dotados, todos tinham as rolas bem grossas, coisa que eu amo, eu chupava um a um com gula e muito tesão, enquanto era despida da pouca roupa que estava. Nisso o primeiro que veio me foder foi o Marcos um dos três caras da borracharia, ele era o mais bem dotado de todos devia ter uns 18 cm, me Poe de quatro e sem nem um pouco de dó socou tudo com força, me fazendo gritar, os outros me cercavam me fazendo chupa los enquanto me xingavam de vários nomes,depois que o Marcos saiu ,veio o Carlos depois o Claudio meu amigo e o Felipe todos se revezaram na minha buceta e me foderam com muita força. Minha buceta tava até inchadinha de tanto ser socada.Então eles puxaram um sofá velho que tinha nos fundos e me colocaram sentada na beirada dele, e novamente se revezaram muito na minha buceta, enquanto eu era chupada nos seios e chupava aos outros.

Nisso o Carlos falou aos outros que tava na hora de foderem meu cu, então o Felipe se deitou no sofá e falou pra eu subir na rola dele, o que fiz rapidamente, senti seu pau atolando todo na minha buceta enquanto sentia os outros passando os dedos no meu cu. O primeiro que socou no meu cu foi o Carlos, foi enfiando devagar até entrar tudo, então começou a se movimentar dentro de mim me fazendo sentir tesão em ser duplamente penetrada, um a um se revezaram em meu cu também, nisso o Carlos troco de lugar com o Claudio e começou a comer meu cu também, foi o que mais arrombou meu cu com vontade e socou com força me fazendo gemer e gritar de tesão, então ele acelerou o ritmo dentro do meu cu e falou que iria gozar, eu falei pra ele me encher de porra no cu,e foi o que ele fez,gozou muito dentro do meu cu, senti meu cu sendo invadido por vários jatos de porra do Carlos, foi tanta porra que quando ele saiu escorria pra dentro da minha buceta que a essa altura também era invadida pela porra do Claudio que também gozou muito dentro de mim. Perguntei se algum dos outros iria gozar dentro da minha buceta ou do cu, então o Marcos se deitou e falou pra eu sentar na rola dele, nisso o Felipe veio por trás e começou a forçar a minha buceta, eu pensei: Caramba dois paus dentro da buceta que tesão. Foi o que eles fizeram socaram dois paus dentro de minha buceta. Foi delicioso sentir ela invadida por duas rolas grossas me alargando toda.Nisso eles gozaram quase que juntos dentro da minha buceta,senti seus paus amolecendo dentro de mim e a porra escorrendo pelas coxas,estava até mole de tanto ser fodida,mas ainda não tinha bebido porra de nenhum deles,então me aproximei do Edson que estava amarrado e de pau duro com tudo que tinha visto,tirei seu pau pra fora e falei: Pra você ver que eu não sou uma garota má,ta bom? E comecei a chupa lo,não deu nem um minuto e ele gozou inundando minha boca de porra,engoli tudo sem deixar nada escorrer.Então me levantei pra ir até o banheiro, mandei que desamarrassem o Edson,quando voltei os rapazes já estavam prontos pra seguirmos viajem,mas os rapazes da borracharia,falaram que antes que eu fosse,queriam me dar mais leitinho,então antes de sairmos chupei os três,fazendo os gozarem entro da minha boca,bebi muita porra deles. Me levantei e fui pro carro,eles ficaram la sentados olhando eu ir embora,então entramos no carro e seguimos viajem,quando chegamos ao nosso destino,ficamos três dias La,nesses três dias transei muito com o Claudio e o Edson, o Edson se vingou de mim comendo meu cu sem dó,mas isso pra mim não era vingança já que eu adoro ser fodida feito puta mesmo. Espero que gostem de mais essa minha aventura ou loucura como queiram.

Autor: CAROL